Com o objectivo de promover a saúde emocional, agora junto uma população alargada, a Terra dos Sonhos demonstra como se consegue transformar o impossível em realidade. Após nove anos de actividade e cerca de 600 sonhos realizados, a organização está actualmente empenhada também em promover acções junto de empresas, escolas e instituições. A sua nova directora executiva, Madalena d’Orey, explicou ao VER por que motivos este é um projecto onde se derrubam os obstáculos e se exploram as (boas) emoções
POR
MÁRIA POMBO

Garantindo que “um sorriso vale tudo”, os 598 desejos que já foram concretizados pela associação Terra dos Sonhos demonstram que vale a pena acreditar “num mundo onde o sonho é a força motriz e o grande impulsionador da busca da felicidade”. Esta é uma instituição particular de solidariedade social cujo principal objectivo é promover a saúde emocional junto de crianças, jovens e idosos com doenças graves e crónicas, e em situação de fragilidade económica, tornando realidade aquilo que aparentemente é impossível, principalmente através da realização de sonhos. Mais recentemente, o foco desta organização foi alargado a outros públicos, e as suas portas estão agora abertas à visita de empresas e escolas, bem como à dinamização de festas de aniversário, workshops e outros eventos, promovidos também com o intuito de permitir à associação uma maior autonomia financeira.

A Fábrica dos Sonhos, a Unidade de Cuidados Intensivos de Felicidade (UCIF) e a Casa dos Sonhos são as principais “armas” e áreas de intervenção da associação. É na primeira que se desenham e “produzem” os desejos que se vão concretizar, os quais representam a superação das dificuldades e motivam os seus beneficiários a não desistir de lutar, independentemente das suas limitações e condicionamentos. Adicionalmente, a UCIF é a primeira unidade de saúde emocional a nível europeu e pretende trabalhar a auto-estima, a gestão das emoções, a aceitação da mudança e a comunicação positiva junto de toda a população (incluindo pessoas em risco, mas também colaboradores de empresas, escolas e outras associações). Por fim, a Casa dos Sonhos, que é a sede da organização, em Lisboa, funciona como o principal espaço onde se concretiza a sua missão e onde é feito a maior parte do trabalho da associação. É aqui que são promovidas acções de empreendedorismo, visitas de estudo, festas de aniversário e outras actividades.

Madalena d’Orey, directora executiva da Terra dos Sonhos
Madalena d’Orey, directora executiva da Terra dos Sonhos

Em entrevista ao VER, a nova directora executiva da Terra dos Sonhos, Madalena d´Orey, sublinha que tenciona continuar o trabalho já iniciado no sentido de “sensibilizar e inspirar a sociedade para a importância do bem-estar emocional e mental”. Movida pelo principal objectivo de “erradicar a palavra ‘impossível’ do dicionário das crianças, jovens e idosos”, a também “sonhadora” explica ainda o que significa, para os utentes desta organização, a realização de sonhos, a magia da surpresa e o seu impacto na superação das dificuldades.

Na qualidade de directora executiva da Terra dos Sonhos, de que forma pretende melhorar a actuação da associação?

O ano de 2015 foi um ano marcante para a Terra dos Sonhos por diversas razões. A principal foi a nossa mudança para a nova sede e centro de operações – a Casa dos Sonhos. Este é um edifício do século XVIII, cuja utilização foi gentilmente cedida pela Fundação D. Pedro IV, a quem agradecemos por acreditarem e apostarem no valor desta organização. Como directora executiva da Terra dos Sonhos, pretendo dar, agora, continuidade ao trabalho já realizado, o qual visa sensibilizar e inspirar a sociedade para a importância do bem-estar emocional e mental, promovendo também a qualidade de vida e a saúde física das pessoas.

Quais são as principais mais-valias desta associação e que características a distinguem de outras iniciativas que têm igualmente o objectivo de realizar os sonhos de crianças com doenças graves e crónicas, crianças e jovens carenciados e idosos?

[pull_quote_left]O que importa é a realização dos sonhos, sem esquecer a magia, a superação da impossibilidade[/pull_quote_left]

O nosso principal público-alvo são as crianças e jovens com doença crónica e institucionalizadas, bem como idosos – apesar de este último grupo, para já, existir em menor número. A mais-valia da Terra dos Sonhos em relação às demais instituições com o mesmo objectivo prende-se com uma metodologia segundo a qual para nós, o que importa é o resultado final, ou seja, a realização dos sonhos. Mas não nos esquecemos da magia, da superação da impossibilidade e da surpresa de um dia único. O dia da realização do sonho é sempre uma surpresa para as nossas crianças e jovens!

Quais são os sonhos mais comuns que a Terra dos Sonhos concretiza e quais são os seus principais efeitos nas crianças?

Realizamos os sonhos mais impossíveis na perspectiva das crianças, jovens e idosos com quem trabalhamos. A nossa missão é erradicar a palavra ‘impossível’ do dicionário destes grupos, usando o sonho como uma forma de transmitir uma mensagem de esperança relativamente à possibilidade de realização dos seus objectivos mais inspiradores, independentemente das suas circunstâncias, condicionamentos e limitações. Os sonhos variam muito de pessoa para pessoa, mas podemos referir alguns mais recorrentes, como ir à Disney ou conhecer o Cristiano Ronaldo.

Quantos sonhos já foram realizados e qual é o perfil das crianças e idosos que mais procuram a Terra dos Sonhos?

A Terra dos Sonhos já realizou 598 desejos a crianças e jovens com doenças crónicas ou em situação de risco (institucionalizados) e a idosos. Os nossos beneficiários caracterizam-se por pertencer a segmentos da sociedade cuja situação de saúde física ou emocional se encontra especialmente debilitada.

Casa dos Sonhos – a sede da Terra dos Sonhos
Casa dos Sonhos – a sede da Terra dos Sonhos

Em 2015, a Terra dos Sonhos apostou na criação de uma Unidade de Cuidados Intensivos de Felicidade (UCIF). Em que patamar se encontra actualmente este projecto, o qual foi alargado também a empresas, escolas e instituições para além das crianças e seus familiares?

[pull_quote_left]Colocar a saúde emocional a par da saúde física é um dos objectivos da UCIF[/pull_quote_left]

Após a elaboração do modelo, que foi pensado para o nosso público-alvo, a verdade é que percebemos que o mesmo era válido para toda a população, considerando que todos temos de cuidar da nossa saúde emocional. Colocar a saúde emocional a par da saúde física é um dos objectivos da UCIF, através da qual queremos fazer chegar esta linguagem a um maior número de pessoas. Para nós, a felicidade consiste em “aceitar quem se é e estar bem com o que se tem”. E esta premissa resulta numa variedade de formatos que a UCIF agora possui, como acções para empresas, às quais chamamos “Happy Moments”, visitas de estudo para escolas, denominadas “Viagens à Terra dos Sonhos”, e também festas de aniversário, entre outras possibilidades.

Que ferramentas emocionais são trabalhadas através destes ‘cuidados intensivos’?

Estes ‘cuidados intensivos’ têm em vista a capacitação psicossocial e emocional dos nossos utentes, a qual terá uma influência directa na sua qualidade de vida, funcionando como um suporte de ferramentas emocionais como auto-estima, (re)conhecimento e gestão das emoções, comunicação positiva e aceitação das mudanças.

E de que forma é que esta iniciativa tem conseguido melhorar a vida de todos estes públicos-alvo?

[pull_quote_left]Alguns sonhos mais recorrentes são ir à Disney ou conhecer o Cristiano Ronaldo[/pull_quote_left]

Quem passa pela UCIF fica sempre com uma porta aberta para voltar, com a certeza de que o entendimento e a partilha estão sempre por lá. A possibilidade de termos um espaço onde as emoções imperam e onde contornamos as impossibilidades e constrangimentos que muitas vezes nos são impostos é uma ferramenta na qual apostamos e que consideramos ser imprescindível para a vida das pessoas.

Paralelamente à vossa área de actuação principal, têm vindo a ser desenvolvidas inúmeras actividades, como experiências em grupo, eventos dirigidos à sociedade civil, apoio a voluntários, instituições sociais e comunidades carenciadas, ou consultoria na área da sustentabilidade. Como é financiada a Terra dos Sonhos e de que forma garantem a vossa própria sustentabilidade?

A sustentabilidade da associação depende da doação em espécie ou numerário por parte de parceiros, patrocinadores, mecenas, particulares e, claro, de todas as acções de captação de fundos que desenvolvemos. A mudança da Terra dos Sonhos para a nova sede – a Casa dos Sonhos – representa também uma transição no modelo de sustentabilidade da organização, a qual procura, progressivamente, alcançar uma maior autonomia financeira, captando receitas através de formatos próprios de prestação de serviços na sua área e, logicamente, através da rentabilização do activo que a Casa representa.

Veja aqui um sonho que a Terra dos Sonhos já realizou.

1 COMENTÁRIO

  1. Concordo plenamente com a possibilidade de podermos er felizes sejam quais forem as circunstâncias da nossa vida, obrigado,
    António Pimenta Damásio

Comments are closed.