É considerada como uma das empresas mais sofisticadas no que respeita a produtos de áudio, vídeo e multimédia e ninguém consegue ficar indiferente ao apelo irresistível do seu design. Mas a famosa empresa dinamarquesa é cada vez mais (re)conhecida por aliar o belo à tecnologia, sem esquecer os múltiplos desafios ambientais a que está sujeita. Em entrevista, Tommy Jakobsen, responsável pela comunicação corporativa da Bang & Olufsen, explica como
POR HELENA OLIVEIRA

© Bang & OlufsenTommy Jakobsen, responsável pela comunicação corporativa da Bang & Olufsen

Fundada em 1925, em Struer, na Dinamarca, a Bang & Olufsen é sinónimo de qualidade e design. De uma pequena operação local transformou-se num ícone global, mantendo-se fiel ao seu lema original: “a coragem de questionar, constantemente, o normal, para ir ao encontro de experiências duradouras e surpreendentes”. Com cerca de 2000 empregados, a empresa dinamarquesa é igualmente reconhecida por combinar, de forma quase perfeita, a excelência de design e tecnologia com um forte poder emocional. No ano fiscal de 2009/2010, o seu volume de vendas ascendeu a 370 milhões de euros. Em entrevista exclusiva ao VER, Tommy Jakobsen, fala dos maiores desafios que a empresa enfrenta para cumprir a sua filosofia – e não apenas uma mera política de sustentabilidade – no sentido de integrar preocupações ambientais desde a criação dos produtos até ao final do ciclo de vida dos mesmos.

Todas as empresas têm a sua própria definição de sustentabilidade. No caso particular da Bang & Olufsen, como é que a definem?
A Bang & Olufsen tem como pretensão estar na “crista da onda”. Queremos ser uma referência para os nossos clientes, fornecedores e, especialmente, para os nossos colaboradores. Acreditamos que a sustentabilidade tem de ter como base vários princípios, tais como o compromisso social, boas condições de trabalho e respeito para com o ambiente em que vivemos. Assim, mantemos a nossa filosofia em qualquer que seja a acção que promovemos, desde a concepção e desenvolvimento dos produtos até à sua produção e transporte.

Os materiais escolhidos, a reutilização dos desperdícios electrónicos e um ambiente de trabalho saudável e seguro constituem as principais questões consideradas na nossa política. As considerações envolvidas na operação, design e longevidade dos produtos da Bang & Olufsen têm de estar sempre em equilíbrio mútuo com o impacto ambiental da produção.

Posso definitivamente afirmar que a sustentabilidade é uma questão chave para a Bang & Olufsen, não só na criação e desenvolvimento de produtos, mas também no que respeita às políticas da empresa relativas a fornecedores e a regras internas.

Quais são, então, os principais enfoques da vossa política ambiental?
É com muito orgulho que afirmo que a Bang & Olufsen possui uma política ambiental completa que inclui todas as nossas áreas de actuação. O objectivo é conceder a atenção máxima ao ambiente, tendo em consideração a altura em que o aparelho é produzido, o período em que permanece na casa do consumidor e quando o seu ciclo de vida chega ao fim.

Para além disso, continuamos a melhorar as nossas fábricas, no que respeita ao consumo de matérias-primas, energia e água, bem como as quantidades de desperdícios, a par das condições de saúde e segurança no trabalho. No geral, é possível afirmar que a Bang & Olufsen trabalha para integrar na perfeição o nosso mundo fantástico, encontrando um peso similar entre as necessidades ambientais e as considerações que integram os nossos produtos, tal como as qualidades práticas, o valor económico, o valor estético e um período de vida longa.

Um dos vossos objectivos – e lemas – é o de que a Bang & Olufsen cria “produtos sustentáveis”. De que forma é que a sustentabilidade se aplica aos vossos produtos?
O ciclo de vida do produto constitui uma das temáticas principais mas, para além disso, cada produto é concebido de forma a ter um consumo de energia reduzido. Todo o processo, desde a criação até à fase de reciclagem é analisado e trabalhado da melhor forma possível. Um dos exemplos é a tecnologia ICEPower que permite uma redução energética de 90%.

A embalagem é também extremamente importante. Desta forma, a Bang & Olufsen introduziu algumas alterações para melhorar o transporte dos seus produtos e as políticas de sustentabilidade inerente. Os produtos são agora embalados em caixas de cartão e protegidos por polistireno, uma aplicação feita em todo o mundo. Com estas acções, a Bang & Olufsen reduziu a embalagem para metade e o seu peso em 40%, reduzindo o impacto ambiental e aplicando um transporte de produto eficiente.
Podemos igualmente afirmar que 74% do desperdício é reciclado, 22% é cremado e 4%, ou seja, a parte mais pequena, é depositada em aterros sanitários. A maioria dos produtos da Bang & Olufsen é feito de alumínio e plástico, mas todo o desperdício é vendido a uma empresa que o recicla.

O BEOVision 6 [um LCD famoso da marca] é um outro bom exemplo, com um consumo de energia de 260kW por ano e de apenas 2% quando está em stand-by.

O que pretendem dizer quando afirmam que a “Bang & Olufsen inclui um pensamento ambiental no ciclo de vida dos seus produtos”?
A Bang & Olufsen tem como prioridades melhorar as condições de trabalho e o impacto ambiental dos seus produtos. A primeira preocupação diz respeito à escolha de material sem esquecer o processo produtivo, no sentido em que os produtos e os materiais precisam de ter uma enorme durabilidade (entre 10 a 15 anos) ao mesmo tempo que é assegurada uma excelente qualidade. No geral, mais de 65% dos materiais utilizados na produção podem ser reciclados.

E é por isso que todos os produtos da Bang & Olufsen resultam de um pensamento extenso e exclusivo. Desde os primórdios da nossa empresa que tivemos em mente o objectivo de criar um excelente produto, capaz de preencher todos os desejos dos nossos clientes.

Por exemplo, no BeoSound 3200 [um sistema de som inteligente], fomos bem-sucedidos ao melhorarmos mais uma vez a qualidade, apesar de este ter agora um hard disk integrado. A melhoria na qualidade pode ser avaliada em menos reparações sob a garantia. Menos reparações significam poupanças de tempo e de recursos para o transporte e a produção de partes soltas.

Podemos assegurar que cada produto que vendemos possui elevados standards ambientais, que respeitam os nossos objectivos e a perspectiva que temos do mundo.

A Bang & Olufsen é reconhecida mundialmente pelo seu extraordinário design, sendo que o design ecológico está a começar a florescer no mundo dos negócios. Quais são os vossos maiores contributos no que respeita a este novo movimento?
Sim, o design sempre constituiu dos nossos mais ambiciosos objectivos. Sempre desejámos criar produtos bonitos, úteis e perfeitos em termos tecnológicos. E se trabalhamos para um ciclo de vida completo e ecológico, temos que integrar as preocupações ambientais e de design.

Assim, a Bang & Olufsen encara o ecodesign como uma procura de novas soluções que permita um contacto eficaz entre os componentes e o processo de arrefecimento.

Uma das acções mais visíveis é a Directiva Europeia do Ecodesign para a Energia, a qual a Bang & Olufsen adoptou. Implementámos três grandes medidas para o consumo reduzido de energia, tais como os requisitos On/Off, recursos energéticos externos e recursos energéticos para as televisões.
E pretendemos continuar a promover melhorias ambientais no futuro. Estamos a trabalhar no sentido da integração perfeita e o ecodesign é uma destas acções visíveis.

Incorporaram, na vossa estratégia de responsabilidade social corporativa desde há cinco anos, normas específicas para a vossa cadeia de fornecimento, algo que não é muito fácil de monitorizar. O que pode adiantar sobre este desafio?
A Bang & Olufsen há muito que tem standards e normas bem definidos nesta matéria, o que nos permite criar e vender produtos de excelente qualidade. Estes standards elevados, a par da qualidade, são apenas possíveis se a cadeia de fornecimento possuir normas similares e partilhar um painel de monitorização. A nossa empresa tem inúmeros procedimentos que testam a durabilidade e qualidade dos nossos produtos, para que possamos ter a certeza que os nossos fornecedores estão a cumprir os requisitos.

Estes desafios são cruciais para a nossa evolução: apenas conseguiremos melhorar se nos desafiarmos a nós mesmos e aos nossos modelos. E é por isso que nos questionamos continuamente e procuramos experiências de longa duração.

Que objectivos principais têm em curso para o ano de 2011 no que respeita ao vosso programa de sustentabilidade?
Nada de diferente dos demais anos, pois o nosso programa e objectivos não são só para um ano. As nossas políticas são definidas para serem duradouras e para irem ao encontro das nossas necessidades ao longo de muitos anos. E, mais do que um programa de sustentabilidade, temos uma filosofia.

De que outras formas pode a Bang & Olufsen ser definida como uma empresa socialmente responsável?
Entre outras, gostaria de sublinhar que os lucros das vendas das edições especiais do BeoSound 9000 branco e do BeoLab 8000 foram doados à UNICEF, no sentido em que nos preocupamos com situações que afectam as condições de vida dos seres humanos.

Por outro lado, a construção de um local de trabalho agradável, confortável e seguro para os nossos colaboradores é, definitivamente, uma prioridade.

Helena Oliveira

Editora Executiva