Numa lógica de apadrinhamento de alunos com necessidades, que permite o acompanhamento escolar a partir de casa através de um equipamento informático doado, surgiu o Student Keep com uma proposta muito simples: colocar em contacto quem precisava de ajuda com quem podia ajudar. O projecto já entregou mais de 500 equipamentos informáticos nas escolas em Portugal, num total de mais de 1800 equipamentos informáticos angariados até ao momento
POR RUI NUNO CASTRO

Logo no primeiro dia de confinamento em que as escolas encerraram as suas portas, deparei-me com a realidade de imensos alunos completamente impedidos de acompanhar as actividades que eram propostas pelas escolas. A minha esposa é professora do ensino básico, tenho dois filhos em idade escolar a frequentar o ensino básico e sou presidente de uma associação de pais. O primeiro dia de aulas à distância foi dramático e lembro-me perfeitamente de um caso que me fez ficar a pensar. Era um aluno da minha esposa que vivia com a bisavó e que a única forma de contactar com ele era através do telefone, quando a bisavó estava em casa.

Para mim ficou claro que este cenário se iria replicar por todo o país (e até pelo mundo). Lamentavelmente, não me enganei. Os dados do relatório da UNESCO, que desencadeou a Global Education Coalition for COVID-19 Response, indicam que 1.2 mil milhões de crianças e jovens foram seriamente afectados pelo encerramento das escolas. São 69,3% dos alunos a nível mundial que, em mais de 160 países, se viram privados do acesso à escola.

Como fundador de uma associação que tem por missão a dinamização do ecossistema de inovação e empreendedorismo da região de Coimbra, a alphaCoimbra, senti que estávamos a viver um momento em que tínhamos de dar o melhor de nós a quem precisava. E estes números e esta realidade, com que a maioria de nós contacta com facilidade, convocou-me a levar a identificação do problema para o seio da comunidade tecnológica nacional que se começava a organizar em torno do Movimento #tech4COVID19 para encontrar soluções que ajudassem a sociedade a enfrentar os novos desafios que esta pandemia nos veio colocar.

E assim se dava o primeiro passo para aquilo que viria a ser o projecto Student Keep, que nasceu no âmbito do Movimento #tech4COVID19 e num universo que conta com mais de 5000 voluntários.

Da sinalização do problema à identificação de uma solução passou muito pouco tempo e no dia 23 de Março estávamos a lançar a primeira versão do website do Student Keep. A proposta era muito simples: colocar em contacto quem precisava de ajuda com quem podia ajudar. Era uma lógica de apadrinhamento de alunos com necessidades, que passaria a permitir que acompanhassem a actividade escolar a partir de casa através de um equipamento informático que seria angariado pelo Student Keep.

O projeto foi crescendo e felizmente tivemos um óptimo acolhimento na sociedade. Desde muito cedo estabelecemos uma parceria com o Ministério da Educação que, através da Direcção-geral de Estabelecimentos Escolares, permite conferir ao projecto todo o rigor e transparência na atribuição dos equipamentos informáticos angariados que é exigível em qualquer iniciativa solidária como esta. Por outro lado, esta ajuda também nos permitiu aplicar todos os nossos esforços na angariação e recondicionamento de equipamentos informáticos. Hoje contamos com uma equipa com mais de 130 voluntários IT com competências de software e hardware que, por todo o país, recolhem, recondicionam e entregam nas escolas os equipamentos informáticos que angariamos.

O crescimento do projecto tem-se traduzido também pelas parcerias e apoios que temos conseguido estabelecer ou receber de várias empresas e entidades. Um dos parceiros principais que está com o projecto Student Keep desde o início é a Fundação Calouste Gulbenkian, a que se juntou entretanto a Fundação Benfica. Temos também bastantes e diversificados apoios, entre os quais destacamos a EDP, a Fundação Vasco Vieira de Almeida, a Fundação Galp, a Primavera BSS, a Beta-i, o Instituto Pedro Nunes ou a See Tickets.

Mais recentemente, conseguimos estender a nossa acção à Região Autónoma dos Açores com uma parceria estabelecida com a Câmara Municipal de Ponta Delgada. E estamos já a receber contactos com o objectivo de levarmos o conceito Student Keep para o Brasil e para Cabo Verde.

O Student Keep já entregou mais de 500 equipamentos informáticos nas escolas em Portugal, num total de mais de 1800 equipamentos informáticos angariados até ao momento. Mas esta ajuda é ainda um grão de areia quando comparada com a dimensão da necessidade. Por isso, encerro este texto com um apelo a todas as pessoas e empresas que possuam equipamentos informáticos sem uso para que possam fazer parte deste grande movimento nacional e nos ajudem a levar a Educação mais longe.

Basta visitar o Student Keep.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here