Chama-se Summit Series e há quem vaticine que será o substituto, pelo menos em termos de popularidade, das conferências TEDx. Reunir jovens empreendedores com personalidades de vários quadrantes da sociedade em ambientes poucos usuais – como uma ilha – e misturar desportos radicais, com palestras e filantropia, são os ingredientes. E as receitas têm corrido muito bem
POR HELENA OLIVEIRA

© Summit Series

Já foi cunhada como “o próximo TED” ou uma espécie de Davos para a geração Y, mas o nome verdadeiro é Summit Series e junta jovens empreendedores com personalidades do mundo dos negócios, da política, do entretenimento, da tecnologia e filantropia. A semana passada e a título de exemplo, Sir Richard Branson e o conselheiro espiritual do Dalai Lama foram dois dos ilustres convidados que partilharam as suas experiências com estes miúdos com ideias (e dinheiro) numa ilha privada nas Bahamas. O “passaporte” para este encontro custa 3500 dólares, preço que em nada se compara com os 40 mil de mínimo para ingressar em Davos ou os 25 mil necessários para se assistir a uma reunião da Clinton Global initiative.

Em termos muito gerais, o Summit Series reúne um conjunto ecléctico de pessoas que mistura desportos radicais com exercícios de meditação, passando por palestras sobre altruísmo, inovação ou sustentabilidade, com tempo ainda para identificar diferentes tipos de tubarões e, para os mais resistentes, dar um pezinho de dança num pavilhão a “bombar” 24 horas por dia. O objectivo? Catalisar a maior quantidade de mudança possível existente no mundo ao relacionar sonhadores com fazedores. Para compensar o “baixo” preço do bilhete para tal aventura, o Summit Series recolhe igualmente dinheiro proveniente de patrocínios de empresas interessadas em seduzir este grupo de pessoas influentes. A Mercedes, por exemplo, paga para ter os seus carros a conduzirem os participantes até aos locais aos eventos, a Microsoft já contribuiu depois de ter deixado várias XBoxes preparadas para uns bons jogos em lobbys de hotéis que receberam outros participantes e a Blackberry também já se “ligou” a estas reuniões.

Criado há pouco mais de quatro anos por um miúdo quase adolescente, o Summit Series começou por juntar 15 pessoas, depois 250, mais tarde 750 e, para o evento de este ano, serão mil os participantes. Na lista de convidados, contam-se nomes tão diferentes como o da CEO da PepsiCo, Indra Nooyi, Sonha Brown, vice-presidente da Google, Beth Comstock, responsável de marketing da General Electric, ícones da tecnologia como Kevin Rose, CEO da Digg e Caterina Faker, co-fundadora do Flickr e ainda filantropos como Charles Best, fundador da DonorsChoose.org ou Blake Mycoskie, fundador da Toms Shoes e um dos grandes inspiradores do fundador do Summit Series.

Do isolamento do empreendedor ao “acampamento” para adultos
Há apenas três anos, Elliot Bisnow era apenas um miúdo, como outros tantos, que não se revia nos currículos académicos da sua faculdade. Decidiu abandoná-la e juntar-se ao negócio do pai, a Bisnow Media, uma empresa que publica newsletters electrónicas. Hoje está na lista dos empreendedores em série bem-sucedidos e fez do Summit Series o negócio e a paixão da sua vida. Com mais três amigos, todos na casa dos 20 anos, Bisnow demonstra capacidades excepcionais de sociabilidade, especificamente com personalidades que podem trazer a diferença às conferências que organiza. O que é mais surpreendente é que o próprio confessa que nunca foi popular na escola e que a sua grande ambição na vida – muito influenciada pelo programa Cribs da MTV, que mostra mansões e carros de luxo de jovens endinheirados – era ser rico e conhecido. Até que conheceu o trabalho de alguns filantropos que fazem realmente o bem e percebeu que as suas metas eram completamente erradas.

Mas voltemos ao início. Quando decidiu ajudar o pai com a empresa que este detinha, o jovem Bisnow confrontou-se com o expediente normal da gestão de um negócio. Sem experiência, decidiu pedir conselhos a outros jovens CEO. Mas e como? Convidando-os para um fim-de-semana de ski no Utah onde todos se poderiam conhecer e trocar ideias. As viagens foram pagas com o cartão de crédito do próprio, com alguns patrocínios que conseguiu angariar e com uma enorme dose de fé de que tudo iria correr bem.

E assim aconteceu. Seguiram-se mais eventos por convite, no México e em Aspen, tendo consequentemente nascido o Summit Series, bem publicitado no seu website e com uma frase convidativa: “Uma Sociedade de Ajuda Mútua para Jovens Empreendedores”.

O trabalho que Bisnow e os amigos têm vindo a fazer já deu excelentes frutos. Em Junho de 2009, a estrela de hip-hop Russel Simmons cedeu a sua penthouse para uma reunião com angariação de fundos para a Fundação Clinton que resultou em 265 mil dólares. O convidado especial era o próprio Bill Clinton. No mesmo ano e numa única noite, foram 200 mil os dólares angariados para a United Nations Foundation. Numa outra ocasião, e depois de ter alugado uma casa para um fim-de-semana na Nicarágua, Bisnow descobriu que as crianças do local não tinham equipamento escolar. Contactou a Staples e, em poucos dias, o material foi entregue. E, o ano passado em Washington, os participantes doaram 600 mil dólares para ajudar as crianças-soldado no Uganda.

A capacidade de Bisnow para se relacionar com os outros e para organizar eventos tem vindo a granjear-lhe influência. E o apoio necessário para continuar com o bem-sucedido Summit Series. Neste momento e depois de três dias com os 1000 convidados nas Bahamas, são três os grandes projectos filantrópicos que Bisnow e os seus amigos empreendedores tentam cumprir: as denominadas “Impact Trips”, que visam conferir experiências aos membros para participarem em projectos de ajuda à comunidade através de várias ONG; a “Campaign Happiness”, uma iniciativa que tem como objectivo alterar alguns paradigmas da cultura pop mudando os valores do que é considerado “cool”, tendo como base a premissa de que a felicidade advém do acto de dar e, por último, a denominada “Get Well Soon Tour”, apadrinhada por várias estrelas da indústria musical que levam a sua música a crianças hospitalizadas. A tour foi lançada em Fevereiro de este ano, com o famoso ídolo juvenil Justin Bieber.

 

Helena Oliveira

Editora Executiva