Contrariando a ideia de que são necessários grandes orçamentos para se integrar a responsabilidade social na estratégia das empresas, a Alvo constitui um bom exemplo de como é possível, através de pequenos passos iniciais, se chegar longe. Mimar e envolver os colaboradores foi só o início de uma história que se estende agora à comunidade e às questões ambientais
POR HELENA OLIVEIRA

A Alvo é uma empresa tecnológica nacional líder na implementação de soluções inovadoras de software de gestão para PME e tem como principal objectivo ajudar os seus clientes a atingirem os seus objectivos de negócio através da utilização da tecnologia. Nesse sentido, a empresa pretende continuar a crescer de forma sustentada com uma estratégia de serviços de qualidade e com uma política de desenvolvimento de parcerias de sucesso com as melhores empresas de tecnologias como Primavera BSS, Microsoft, GFI e Barracuda Network Systems. Como uma empresa de pequena dimensão, com 41 colaboradores, constitui exemplo de que a capacidade de investimento não é determinante para uma estratégia de responsabilidade social corporativa adequada.

© DR

Em entrevista, Sílvia Carvalho, traduz as políticas internas e externas de responsabilidade da empresa na qual é Directora de Marketing e Comunicação.

Nem sempre é fácil para uma empresa de pequena ou média dimensão incluir a Responsabilidade Social Corporativa (RSC) nos objectivos estratégicos da mesma, facto por vós reconhecido quando afirmam que esta é uma “aposta invulgar” para uma PME portuguesa ligada ao sector das tecnologias. Sendo a ALVO uma empresa com apenas 41 colaboradores, como e quando surge a RSC como parte integrante da vossa estratégia?
A Responsabilidade Social Corporativa sempre fez parte da estratégia da Alvo, desde a fundação da empresa, em grande parte devido ao empenho dos seus sócios fundadores que viam como fundamental a protecção do bem-estar dos colaboradores. Assim sendo, o bem-estar dos colaboradores foi o primeiro aspecto a ser valorizado na RSC da Alvo. Mas à medida que a empresa ia crescendo, as suas preocupações iam-se alargando à comunidade e às questões ambientais. No fundo, a Responsabilidade Social Corporativa é algo intrínseco à cultura da Alvo.

Que principais áreas são eleitas pela ALVO para levar a cabo a sua estratégia de RSC?
A Alvo é uma empresa que dá especial atenção à Responsabilidade Social Corporativa nas suas diversas vertentes: ambiente, colaboradores e comunidade. De entre as inúmeras iniciativas levadas a cabo pela Alvo, destacam-se as que visam a protecção do ambiente com uma actuação responsável e sustentável da empresa no dia-a-dia, reduzindo os consumos e eliminando os desperdícios, insistindo em práticas sustentáveis no quotidiano. Por outro lado, a Alvo investe em boas condições de trabalho, regalias especiais e horários flexíveis. Para além disso, várias instituições que têm um papel importante para o desenvolvimento da sociedade civil beneficiam do empenho e contributo da Alvo e dos seus colaboradores, bem como de serviços Alvo a “custo zero” ou com custos muito reduzidos.

Em termos ambientais, o que é possível uma empresa de média dimensão fazer para que as suas políticas espelhem uma preocupação com o ambiente?
O primeiro passo é olhar para o negócio e perceber qual o seu impacto no meio ambiente, e onde se pode intervir para o minimizar. No caso da Alvo, percebemos que uma das áreas onde devíamos modificar comportamentos era na utilização do nosso parque de viaturas, já que constatámos que o nível de emissões de CO2 anual era bastante elevado. Nesse sentido, por exemplo, criámos uma campanha interna com o objectivo de sensibilizar e incentivar os nossos colaboradores a utilizarem os transportes públicos sempre que possível, na qual os carros partilhados deixaram de ser atribuídos quando o cliente se encontrava numa área facilmente acessível por transportes. O resultado traduziu-se numa redução significativa (30%) das emissões de CO2 originadas pelas viaturas, o que faz com que queiramos manter esta campanha em 2011.

Por outro lado, e no que se refere à protecção do meio ambiente, todas as acções contam. E no caso da Alvo foram coisas tão simples como: implementar e melhorar um processo de reciclagem de resíduos, diminuir a quantidade de resíduos produzidos ao substituir garrafas de plástico por garrafas de vidro nas salas de reuniões, introduzir normas internas rigorosas no que se refere a métodos de trabalho que permitam reduzir o consumo de energia, papel, tinteiros e equipamentos.

Podemos ainda referir que a Alvo foi a primeira empresa portuguesa a ter um site certificado com o “Green Certified Site”, uma certificação atribuída pela CO2Stats (http://www.co2stats.com/), uma entidade que monitoriza os recursos utilizados pelos websites numa perspectiva de eficiência energética.

A RSC interna é também uma aposta da ALVO. Que programas internos possuem para envolver os colaboradores e lhes assegurarem que são “os activos mais importantes da empresa”?
A Alvo considera que a Responsabilidade Social Corporativa deve começar, em primeiro lugar, com o seu público interno. Não faz sentido beneficiar única e exclusivamente a comunidade e esquecermo-nos de quem está mais perto: os nossos colaboradores.

Na Alvo, damos muita importância à comunicação interna. Temos uma política de “porta aberta” onde os gabinetes são quase inexistentes e as chefias trabalham junto da sua equipa num ambiente open space. O tratamento entre todos os colaboradores, incluindo os sócios e os membros da Direcção, é muito informal e igualitário. Por outro lado, fazemos questão que os colaboradores tenham conhecimento da estratégia da empresa, de onde vimos e para onde vamos, pelo que fazemos reuniões globais semestralmente. Uma das últimas campanhas de comunicação interna que desenvolvemos foi “O que faz da Alvo uma empresa diferente?” – que teve como objectivo comunicar aos colaboradores da empresa quais os atributos que a diferenciam dos seus demais concorrentes – que foi divulgada publicamente na nossa página do Facebook.

Por outro lado, privilegiamos igualmente, e de forma proactiva, o bem-estar físico dos nossos colaboradores. Um exemplo disso foi um dos programas que desenvolvemos recentemente – “Próximo Alvo: Deixar de Fumar!” – que teve como finalidade ajudar os colaboradores da Alvo a deixarem de fumar, tendo alcançado uma taxa de sucesso de 33%, o que é excelente neste tipo de iniciativas.

Na Alvo, fazemos também questão de celebrar as datas especiais para os nossos colaboradores, como aniversários, sucessos pessoais e profissionais, entre outras. A empresa proporciona ainda aos seus colaboradores diversas regalias, como a opção por horários flexíveis e o acesso a bolsas de formação extra-profissional.

Neste contexto, e em 2011, vamos privilegiar a melhoria da comunicação interna com a criação de uma newsletter interna e uma comunicação constante de todas as iniciativas e novidades da empresa. Vamos ainda criar diversos eventos internos, ao longo do ano, com o objectivo de reunir com maior frequência os colaboradores.

No que respeita à RSC externa, que instituições ou iniciativas são apoiadas pela ALVO?
A Alvo apoia várias instituições que têm um papel importante para o desenvolvimento da sociedade civil – como a Casa do Artista, a Associação Nacional de Famílias para a Integração da Pessoa Deficiente, a Associação para o Bem Estar Infantil da freguesia de Vila Franca de Xira, o Desafio Jovem, a Comunidade Vida e Paz, o Banco Alimentar contra a Fome, a UNICEF – através de acções de voluntariado, disponibilização de serviços Alvo sem custos ou com custos muito reduzidos, e donativos financeiros.

Paralelamente, a Alvo apoia também vários projectos de solidariedade social, como o “Tampinhas” e a “Corrida Sempre Mulher”. Criamos ainda iniciativas periódicas tais como sessões de doação de sangue e apoio a crianças carenciadas.

Em termos de impacto para a própria empresa, quais as mais-valias directas que elegem face à vossa política de RSC?
Para a Alvo, a maior satisfação é ver os resultados das acções que leva a cabo, bem como o impacto positivo que estas têm. É ainda muito gratificante ver como esta postura da Alvo cria um sentimento de coesão e orgulho nos colaboradores e um sentimento de respeito e confiança na comunidade.

E no que respeita ao envolvimento dos colaboradores?
Os colaboradores da Alvo sentem um especial orgulho por pertencerem a uma empresa que se empenha em acções de responsabilidade social. Na generalidade, os colaboradores são bastantes entusiastas e aderem rapidamente a qualquer iniciativa criada pela Alvo. Além de participarem, em algumas situações, acabam por ser eles próprios a sugerirem acções a desenvolver. É curioso constatar que os nossos colaboradores, mesmo fora da Alvo, vivem intensamente este espírito de “devolver ao próximo” e muitos deles participam igualmente, de forma individual, noutras iniciativas com as quais se identificam.

Que feedback possuem por parte destes?
No último questionário de avaliação da satisfação dos colaboradores, ficou bem visível a sua opinião relativamente à postura de Responsabilidade Social Corporativa da Alvo. Foi muito gratificante perceber que os colaboradores da Alvo sentem orgulho na actividade desenvolvida pela empresa e que consideram que o seu trabalho não é apenas um mero emprego. Além disso, reconhecem igualmente o empenho existente em gerir os negócios de forma ética e honesta.

Com base nos resultados obtidos neste questionário, constatámos que, dos aspectos mais valorizados pelos colaboradores, destaca-se o reconhecimento do papel desempenhado pela Alvo na protecção do ambiente e o seu compromisso para com uma actuação responsável e sustentável. A política de igualdade de oportunidades e não discriminação também foi valorizada, pois os colaboradores consideram que todos são tratados de igual forma.

2011 é o Ano Europeu de Voluntariado. Têm planeado algum programa específico para esta temática em concreto?
Do leque de clientes da Alvo, podemos destacar várias instituições que têm um papel importante para o desenvolvimento da sociedade civil. Em 2011, a Alvo tem planeadas diversas acções em benefício destas instituições devido ao impacto positivo que têm na sociedade. Neste contexto, um dos nossos objectivos é desenvolver, em parceria com algumas destas instituições, programas de voluntariado contínuos, para os quais a Alvo irá incentivar o voluntariado por parte dos seus colaboradores. Estes, em contrapartida, terão acesso a um horário de trabalho mais flexível para que possam dispensar mais tempo em acções de voluntariado.

Como vêem a RSC em Portugal, e no geral, nas PME?
É com muito agrado que vemos que a Responsabilidade Social Corporativa em Portugal está cada vez mais difundida e que são cada vez mais as empresas que as adoptam. No entanto, isto é mais patente nas grandes organizações e não tanto nas PME. Creio que isso acontece porque ainda há quem julgue que para abraçar a RSC é necessário dispor de uma elevada capacidade de investimento. No entanto, não é assim. Até as pequenas empresas podem desenvolver determinadas acções, sem qualquer tipo de custo directo. Qualquer empresa pode, e deveria, desenvolver acções de RSC porque qualquer gesto conta, e muito, para criarmos um mundo melhor. Afinal, todos juntos, fazemos uma enorme diferença.

Que projectos podemos esperar para um futuro mais sustentado e sustentável da ALVO?
A Responsabilidade Social Corporativa é algo que sempre fez e sempre fará parte da cultura da empresa. Numa linha de continuidade, iremos manter as nossas políticas focadas na sustentabilidade ambiental das operações e no bem-estar dos colaboradores. Por outro lado, continuaremos a privilegiar conjuntos de muitas pequenas acções institucionais, com o envolvimento dos colaboradores, em benefício de instituições e da comunidade.

Neste contexto, e a nível ambiental, vamos manter o nosso compromisso com a redução das emissões de CO2 do nosso parque de viaturas. Para tal, e com o objectivo de diminuir o número de deslocações dos nossos consultores, estamos a incentivar os nossos clientes a recorrerem ao suporte técnico por acesso remoto – serviço Ajuda Já. Por outro lado, estamos inclusivamente a ponderar trocar os automóveis do nosso parque por outros menos poluentes e que consumam menos combustível.

Já a nível interno, vamos, como sempre, continuar a privilegiar o bem-estar dos nossos colaboradores, este ano com a realização de eventos desportivos que privilegiem o seu bem-estar físico e psicológico, como por exemplo workshops de Yoga, Pilates, Tai Chi.

Ao longo do ano, vamos ainda criar diversas acções de solidariedade a favor de instituições sociais, privilegiando as que são nossas clientes, nomeadamente através do desenvolvimento de programas de voluntariado com estas instituições.

https://www.ver.pt/Lists/docLibraryT/Attachments/1157/hp_20110316_PequenosGrandesPassos.jpg