A justiça intergeracional e a prática de um modelo empresarial sustentável deram o mote à intervenção de Joana Cordovil Cardoso. Gerir fraldas, ensinar filosofia a adolescentes inquietos e a universitários desconfiados e ainda discutir ensaios constituem tarefas integrantes do dia-a-dia desta professora e investigadora que defende que, “com um bocadinho de loucura”, o desafio é manter a esperança, mas saber escolher em que contexto e em quem a mesma deve ser depositada

[su_youtube url=”https://www.youtube.com/watch?v=cSWH9w5LYSg” height=”200″]