Mais do que uma nova imagem ou que o reforço e a optimização de meios, o novo sistema integrado mygalp “alinha e integra todas as realidades e geografias da empresa, garantindo o compromisso de todos os colaboradores”. Quem o diz, a propósito do balanço das actividades de Comunicação e Desenvolvimento Interno e Social da Galp Energia é o responsável da área, Rui Mendes da Costa. Em 2011, a Galp Voluntária colaborou em quase vinte projectos de voluntariado e, para este ano, está já disponível o calendário das formações da Academia Galp
POR GABRIELA COSTA

A Galp Energia divulgou recentemente um balanço das suas principais e mais relevantes actividades na área de Comunicação e Desenvolvimento Interno e Social (CDIS), isto é, realizadas no âmbito das suas vertentes de Comunicação Interna, Responsabilidade Social Corporativa e da Academia Galp Energia.

A empresa compilou numa apresentação única algumas das inúmeras iniciativas que teve oportunidade de realizar ao longo de 2011 nestes domínios, cujas temáticas “se devem tocar e potenciar-se respectivamente, sempre visando o crescimento humano e das organizações”, defende.

O objectivo não é fazer uma descrição exaustiva, até porque “muitas outras acções foram abraçadas com o mesmo carinho e todas somadas permitiram a superação dos objectivos inicialmente traçados”, afirma Rui Mendes da Costa, da área de Comunicação e Desenvolvimento Interno e Social da Galp Energia. É antes “lançarmos o que será o futuro, o que poderão vir a ser os novos projectos”.

Ao nível da Comunicação Interna, a Galp Energia reforçou a sua marca após dois anos do início do conceito integrado mygalp. Durante o primeiro trimestre de 2011, “tornou-se fundamental rever a estratégia e os meios de comunicação interna” da empresa, explica Rui Costa. Para o efeito, “envolvemos, de diversas formas, mais de duzentos colaboradores na definição do que deveria ser o futuro desta área, cada vez mais relevante em qualquer organização”.

Com a conclusão da nova imagem do sistema mygalp, foi lançado o novo portal do colaborador em Agosto de 2011, uma das principais ferramentas de comunicação no seio da empresa. Este novo portal conta com conteúdos diversificados, inclusivamente de carácter lúdico (caso do mytime, com um sistema de votação e concursos) e com uma forte aposta na vertente vídeo (mygalp vídeo).

Dois meses antes a empresa concluiu a produção de um livro que resume a história da Galp Energia e elaborou a campanha “O Nosso Tempo”, para divulgar esta história junto dos seus colaboradores, no âmbito do seu projecto de comunicação com enfoque na cultura organizacional. Entre diversas outras ferramentas e iniciativas, foi publicada a norma interna que regula todos os serviço audiovisuais e disponibilizado um Banco Digital online a todos os colaboradores, bem como uma ferramenta de optimização das mensagens de e-mail.

A Galp lançou ainda um projecto que trabalha os valores da empresa, em parceria com o ISEG, e promoveu vários encontros de quadros e de áreas de negócio em 2011 – como por exemplo a inauguração das novas unidade na refinaria de Matosinhos, o encontro da Internacional Oil (África) e os encontros de quadros.

Finalmente, foi elaborada uma nova Política de Comunicação Interna do Grupo Galp Energia, a qual regulamenta todas as suas vertentes. Na opinião do responsável da área de Comunicação e Desenvolvimento Interno e Social da Galp Energia, “mais do que uma nova imagem, mais do que o reforço e a optimização de alguns dos meios, o novo sistema integrado mygalp pretende alinhar e integrar todas as realidades e geografias da Empresa, garantindo o compromisso de todos os Colaboradores”. O mygalp é hoje, “claramente, uma marca de comunicação interna, um instrumento de mudança, um pilar de cultura empresarial e uma importante ferramenta de gestão, que visa a consolidação de uma identidade comum na Galp Energia”, sublinha.

© Galp Energia

Galp Voluntária em quase vinte projectos
Na vertente da Responsabilidade Social, a empresa colaborou em quase duas dezenas de acções de voluntariado. Como explica Rui Mendes da Costa, de todos os projectos de voluntariado lançados desde Fevereiro de 2011, com a criação da Galp Voluntária, “não podemos deixar de destacar três que, pela sua dimensão e pela sua acuidade, se tornaram já referências internas”. Isto “obviamente sem retirar a devida importância a todos os dezassete projectos que abraçámos durante 2011 e que contribuíram para o sucesso deste programa”.

São eles o projecto REPARAR, as iniciativas dinamizadas com a Associação EPIS e a entrega de cabazes de Natal um pouco por todo o país.

Quanto ao REPARAR, iniciativa desenvolvida em parceria com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, durante o ano passado estiveram envolvidos 116 voluntários da empresa na reparação de dez casas pertencentes a pessoas carenciadas e idosas da cidade de Lisboa, destaca Rui Mendes da Costa.

Por outro lado, a Galp tem desenvolvido várias iniciativas com a Associação EPIS (Empresários pela Inclusão Social), sempre no eixo da educação. Em curso, adianta, está o projecto Vocações de Futuro, em que algumas dezenas de colaboradores da Galp Energia estão a acompanhar alunos em risco de insucesso escolar, “tentando dar-lhes novas perspectivas nestes domínios”.

Por fim, e “até por se tratar de uma acção em que a Galp Energia abdicou dos tradicionais jantares de Natal para aplicar os valores em causa de uma forma muito mais responsável perante a comunidade, temos que evidenciar a entrega de 2.500 cabazes de Natal em 22 locais distribuídos por Portugal Continental, Açores e Madeira”, conclui. Uma acção que reuniu 214 voluntários da empresa.

Noutro ângulo de abordagem, a Galp Energia está também a consolidar e a apoiar projectos de Responsabilidade Social alinhados com os seus quatro eixos estratégicos. É o caso, por exemplo, da Aliança para a Prevenção Rodoviária (projecto a longo prazo que reúne vários parceiros para mudar comportamentos nesta área); do projecto Stent for Life (campanha de prevenção em caso de enfarte, em parceria com a Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular); do EpiReumaPt (causa da Sociedade Portuguesa de Reumatologia que a Galp apoia com voluntários e com combustível para uma unidade móvel; e, por último, do apoio à Fundação da Liga, com o valor obtido pela venda interna e externa das agendas 2012 da Galp Energia – as quais reúnem frases e conselhos para uma vida mais positiva – e com a venda de cartões de Natal, graças ao qual será desenvolvido um projecto de apoio à deficiência e à comunidade.

Novos líderes com a Academia Galp
A Academia Galp Energia, que integra actualmente o Curso de Formação Avançada em Gestão (FormAG), o Programa de Doutoramento em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química (EngIQ), o Curso em Competências Comerciais (CompeC) e o Curso de Geoengenharia de Reservatórios Carbonatados (GeoERC), resulta da “determinação e do empenho em potenciar as capacidades dos quadros do grupo e em fazer emergir novos líderes, capazes de assumirem responsabilidades crescentes ao nível dos negócios e funções corporativas da empresa”.

O Curso de Formação Avançada em Gestão tem como objectivo a qualificação profissional dos Quadros Superiores e dos Colaboradores de Alto Potencial da Empresa, com vista a uma
homogeneização dos conhecimentos e a uma consolidação de conceitos respeitantes ao universo da Galp Energia, bem como à criação de redes internas de contacto, que facilitem a
interacção entre pares no âmbito das tomadas de decisão (tanto ao nível operacional como
táctico ou estratégico).

Este programa estrutural de formação a médio e longo prazo foi lançado em parceria a Universidade Católica Portuguesa, a Escola de Gestão do Porto, a Universidade de Aveiro e o Instituto Superior Técnico, visa, por outro lado, a preparação dos futuros Líderes para o exercício dos seus cargos de gestão, dentro de toda a estrutura da Galp Energia.

O FormAG envolve actualmente quatro universidades, 41 professores e nove turmas (das quais quatro estão em fase de conclusão de nível). Já ministrou 23 semanas de formação (18 400 horas de formação), envolvendo 179 formandos e 21 especialistas internos. Com todos os níveis em funcionamento, esta formação apresenta resultados médios entre os quinze e os dezoito valores.

“A Academia Galp resulta da determinação e do empenho em potenciar as capacidades dos quadros do grupo e em fazer emergir novos líderes na empresa” – Rui Mendes da Costa, área de Comunicação e Desenvolvimento Interno e Social da Galp Energia .
.

Por sua vez, o EngIQ é um programa de doutoramento e formação avançada, inovador no espaço nacional e europeu, já que representa uma iniciativa única que permite associar as melhores escolas de Engenharia Química do País e, em simultâneo, assegurar que os projectos de investigação conducentes a Doutoramento serão realizados em ambiente empresarial e em temas previamente acordados entre as universidades e as empresas. Este Curso Doutoral vocacionado para satisfazer as necessidades de formação numa área de conhecimento onde operam em Portugal diversas empresas nacionais e multinacionais, recentemente constituídas na Associação das Indústrias de Petroquímica, Química e Reinação (AIPQR), envolve hoje cinco universidades, tendo já proporcionado cerca de seis mil horas de formação, a um total de 39 formandos da Galp Energia. Esta formação deu já lugar a dez projectos de I&D nas refinarias.

Promovendo seminários, workshops, conferências e estudos de caso, a Academia Galp parte do primado da ideia de que “o factor humano, mais do que nenhum outro, é estratégico para o sucesso da organização”, para fazer “uma aposta decidida” na formação avançada, em parceria com universidades nacionais.

Os programas de formação são “criteriosamente estruturados” para responder a necessidades específicas o que, aliado a um elevado grau de exigência, ao nível da avaliação, bem como a condições logísticas “de excelência, gera “especialistas tecnicamente mais habilitados e chefes melhor preparados para as tarefas de liderança”. Resultado? Uma empresa mais preparada para enfrentar os seus desafios.

Como recorda Rui Mendes Costa, “todos temos dentro de nós algo em que somos excelentes e é na procura dessa dimensão de excelência que surge a Academia Galp Energia, reforçando e traduzindo a clara aposta na valorização e no desenvolvimento do capital humano da empresa e dando a oportunidade aos colaboradores de crescerem, enquanto pessoas e enquanto profissionais”.

Os números associados aos dois cursos que estiveram em funcionamento durante 2011 “falam por si”, bem como a avaliação dos formandos e dos docentes, defende. Em 2012 serão lançados dois novos cursos na Academia Galp Energia (ver Caixa), um dos quais em parceria com a Petrobras e com diversas universidades nacionais e brasileiras, no domínio da geofísica e da engenharia de reservatórios, uma das áreas “em significativo crescimento na Galp Energia”. Mais duas oportunidades para preparar “os líderes e os especialistas do futuro”.

Calendário 2012 @ Academia Galp
© Galp Energia

FormAG
Está definido o calendário para o curso de formação avançada em 2012:

  • Novas turmas: 2 de nível 1 e 2 de nível 2. Transitam 5 turmas para 2012 e 4 turmas  estarão a fazer o Ano de Fim de Nível;
  • Os anos de fim de nível serão compostos por trabalhos, workshops, seminários e conferências, em parceria com a EGP e com a CLSBE, bem como por um assessment no final do nível 1 em parceria com uma consultora especializada;
  • Os temas propostos para estes trabalhos foram apresentados até Dezembro último, sendo seleccionados por um júri composto por universidades, directores de primeira linha, especialistas internos e Academia Galp Energia.

EngIQ

  • Conclusão da 2ª Edição com 14 Participantes, 12 Formações Avançadas e 2 Módulos à medida
  • Média das notas da 2ª edição – 15 valores
  • Início da 3ª Edição com 14 Participantes, 11 Formações Avançadas e 3 Módulos à medida

Curso de Competências Comerciais

  • No início de 2012, o Centro de Formação dará início à primeira fase do plano previsto para as forças comercias da Galp Energia.
  • No início do 2º semestre de 2012, terá início o curso de formação avançada em ciências comerciais no âmbito da Academia Galp Energia, com os formandos que passem a 1ª fase.

Curso de Geoengenharia de Reservatórios Carbonatados

  • Estão envolvidas 3 universidades portuguesas – IST, UA e FCUL -, bem como 2 universidades brasileiras – UNICAMP e UNESP.
  • As aulas serão ministradas em três formatos: videoconferência, presenciais em Portugal e presenciais no Brasil.
  • A assinatura do protocolo entre a Galp Energia e a Petrobras para este curso decorreu em Dezembro.
  • O programa está já definido, tendo início a 30 de Janeiro de 2012.