A maioria (84%) dos empresários inquiridos no âmbito do Barómetro ACEGE/Observador/TSF/Netsonda considera decisivo que haja maioria absoluta nas próximas eleições legislativas. O Barómetro divulgado esta semana revela ainda um optimismo moderado sobre o futuro do País, a que equivale um ligeiro decréscimo, face a Maio de 2014
POR VER

O Barómetro da ACEGE – Associação Cristã de Empresários e Gestores está de volta, e com novos parceiros: o inquérito realizado pela Netsonda conta agora com a colaboração do Observador e da TSF.

Grafico1
A principal conclusão da recente edição do estudo mensal de opinião revela que uma esmagadora maioria dos empresários inquiridos – 83,6% – considera que é decisivo que nas próximas eleições legislativas saia vencedor um governo com maioria absoluta. Apenas 15,3% acreditam que esta maioria não é decisiva.

Quanto à taxa social única paga pelas empresas, pouco mais de metade dos inquiridos (52,5%) defendeu que uma descida da taxa não é determinante para a competitividade do seu negócio, contra mais de 36% que pensam o contrário.

Também mais de metade (54,1%) dos empresários que participam no Barómetro afirma sentir maior abertura por parte da banca no acesso ao financiamento de projectos empresariais, enquanto 23,5% consideram que o comportamento dos bancos não se alterou.

Até ao final do ano, apenas 4,9% dos empresários admitem reduzir pessoal. Já 38,8% dizem que vão contratar, e 42,1% não ponderam aumentar ou reduzir a sua equipa.

Empresários mantêm-se “moderadamente optimistas”

No que diz respeito à exportação, apenas 1,6% dos empresários inquiridos admitem que vão exportar menos no próximo ano. A maioria (36,1%) adianta que pretende aumentar as vendas ao exterior; 29,5% pensam exportar mais ou o mesmo, nos próximos 12 meses, e 32,8% afirmam que ainda não sabem, ou não respondem.

Relativamente a uma eventual saída da Grécia da zona Euro, as opiniões dos empresários dividem-se: enquanto 47,7% consideram que caso haja um Grexit, esta não representa uma ameaça para a economia portuguesa, 45,4% acreditam que tal pode ter repercussões sérias em Portugal.

O Barómetro ausculta ainda os empresários cristãos relativamente ao 6º Congresso Nacional da ACEGE, que irá decorrer nos dias 5 e 6 de Junho, na Universidade Católica, em Lisboa. A quase maioria dos respondentes (92,3%) tem conhecimento da sua realização, contra apenas 7,1% que respondem o oposto. De sublinhar ainda que 44,4% contam estar presente no evento, e 50,8% consideram de muita relevância a sua participação no Congresso da ACEGE, enquanto associados.

Grafico2
O estudo mensal de opinião conta com a questão fixa “Como define o seu estado de espírito em relação ao País?”, que permite determinar uma tendência. Nesta edição, a maioria dos inquiridos pelo Barómetro (62,3%) diz sentir-se “moderadamente optimista”, o que representa um decréscimo de cerca de 1%, face ao sentimento expressado pelos empresários em Maio de 2014. 17,5% não estão nem pessimistas nem optimistas em relação ao País, e 14,2% estão “moderadamente pessimistas”, pouco mais que os 13,2% de respondentes no Barómetro de Maio do ano passado que deram a mesma resposta. De referir que os empresários que se sentem “francamente optimistas” diminuíram de 5,1% para 3,3%, no mesmo período.

Realizado em colaboração com a Netsonda junto de altos responsáveis de empresas portuguesas, este inquérito é constituído por perguntas de sentimento económico formuladas pelos três parceiros da iniciativa e enviadas aos gestores associados da ACEGE. A presente edição deste estudo de opinião foi realizada entre os dias 21 e 26 de Maio, período em que foram questionados 1174 empresários e validadas 183 respostas.

Aceda aos resultados do Barómetro