O projecto Dar e Receber.pt pretende ser uma fonte de inspiração, um sinal vindo da sociedade civil que mostra a todos a força da proximidade, da cidadania activa e da Responsabilidade Social
POR ISABEL JONET

Os momentos difíceis que atravessamos devem levar-nos a pôr à prova a coerência entre aquilo em que dizemos acreditar e o que de facto desenvolvemos, para que este desejo se torne efectivamente numa prática transformadora da realidade social em que nos encontramos.

É imperioso ter a ousadia de criar e desenvolver novas respostas sociais baseadas na identificação dos verdadeiros problemas sem solução, tão conhecidos e às vezes tão bem identificados pela sociedade civil, as redes de vizinhança, as paróquias, as IPSS, os diferentes órgãos de poder local, as juntas de freguesia, os municípios. Sabemos que é necessário encontrar novos caminhos que nos motivem a encontrar alternativas.

O Dar e Receber.pt pretende ser isso mesmo: uma fonte de inspiração, um sinal vindo da sociedade civil que mostra a todos a força da proximidade, da cidadania activa e da Responsabilidade Social.

Este projecto vem estabelecer uma relação directa entre DAR e RECEBER em que, nesta matemática, o dividir tem a força do multiplicar e o resultado final é diferente da soma de todas as partes, quebrando barreiras culturais, estigmas sociais e desvanecendo estereótipos.

09102014_DarEreceberInovacaoSocialEpartilhaTecnologicaHoje em dia a Internet é um dos principais veículos de partilha. Toda a gente tem alguma coisa para partilhar, seja uma opinião, um momento, uma fotografia. A plataforma Dar e Receber.pt, lançada pela ENTRAJUDA e pela Cáritas Portuguesa, tem precisamente o objectivo de facilitar este tipo de partilhas no Terceiro sector e no voluntariado, estabelecendo a ligação entre quem tem alguma coisa para dar (apoio, talentos, tempo ou bens) e quem precisa de receber. Mas é também um sítio na internet para encaminhar situações de necessidade para instituições que no terreno assistem e acolhem os mais pobres ou quem se encontra numa situação vulnerável.

Fruto desta parceria, vem congregar num projecto que pretende envolver a sociedade civil em iniciativas de cidadania e Responsabilidade Social, duas entidades com actuações complementares. Por um lado, a ENTRAJUDA, com experiência no apoio a instituições sociais, no voluntariado e na distribuição de bens e, por outro, a Cáritas com uma capilaridade nacional e experiência na intervenção directa junto das comunidades.

A plataforma Dar e Receber.pt resulta de uma candidatura ao Programa Operacional para o Potencial Humano (POPH) e agrega online três respostas: um motor de busca que permite encontrar Instituições que apoiam as famílias mais carenciadas; a Bolsa do Voluntariado, um portal destinado à procura e oferta de voluntariado, nomeadamente qualificado e empresarial; e o Banco de Bens e de Equipamentos, destinado a fazer chegar às instituições produtos não alimentares, doados por empresas e particulares.

[quote_center]“É imperioso ter a ousadia de criar novas respostas sociais”[/quote_center]

Qualquer particular, empresa ou entidade pode doar bens ou tempo a instituições sociais que expressam na plataforma a necessidade de os receber, para utilização própria ou distribuição a famílias carenciadas que apoiam. A pesquisa no site pode ser feita por freguesia ou tipo de resposta social, de forma a permitir o encontro entre quem oferece e quem procura.

A grave crise económica que Portugal vive desde há alguns anos tem deixado muitas famílias em situação de vulnerabilidade e pobreza. São necessárias respostas mais alargadas e mais eficazes porque não são já suficientes as soluções que as entidades da Economia Social, de forma isolada, conseguem oferecer com os recursos disponíveis, e porque é determinante a mobilização de toda a sociedade para a intervenção.

É este o desafio proposto pelo site Dar e Receber.pt. A adesão à plataforma (mais de 3.700 instituições registadas, mais de 27 mil voluntários inscritos, muitas Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia participantes) comprova a sua oportunidade.

Mais do que apenas um sítio na Internet, é uma oportunidade fácil, congregadora e mobilizadora, que pode ajudar pessoas, reutilizando produtos, contribuindo assim também para proteger o ambiente.

Isabel Jonet

Presidente da ENTRAJUDA

2 COMENTÁRIOS

  1. Tenho recebido como resposta ao convite para colaborar com o BA que são tudo a mesma coisa!.
    E querendo ser mais profundo devemos/devem quem se empenha na solidariedade encarar de frente e tomar posição activa contra as demasiadas ONG que existem por motivos diversos/futeis e que gastam praticamente a grande parte do que angariam em despesas proprias/ajudas de custo. Para ver o adormecimento cumplice que por aí grassa, basta ver abordagem dos analistas,comentadores,politicos ao caso Tecnoforma/CPPC. Andaram com fosquices mas o importante = que se fez a tantos milhoes de formação e que “resultado” teve a actividade da CPPC nem uma palavra, nem dos experts, nem dos conhecedores da solidariedade, nem de… Custa comparar mas as almas piedosas de muitos mundos calaram/calam a pedofilia e outros crimes como se fossem pormenores que não desviam o rebanho do bom caminho; todos vemos hoje os horrores que têm sido, Até quando vamos calar o faz de conta da “caridadezinha” calando os enormes maus gastos que prejudicam os mais carentes? Chega de faz de conta.

    • Caro leitor,
      Como em todas as esferas da sociedade, há os que fazem bem e os que fazem mal. Não podemos, contudo, deixar de acreditar no trabalho e na entrega de muitas organizações sem fins lucrativos que realmente fazem a diferença. O objectivo do VER é, também, partilhar o bem fazer e o fazer bem de todas as organizações. Felizmente, bons exemplos não faltam.
      Agradecemos o seu comentário

Comments are closed.