Clayton Christensen: como irão avaliar a vossa vida?

“Aplico as ferramentas da econometria algumas vezes por ano, mas aplico o conhecimento do meu propósito de vida todos os dias. Foi a coisa mais útil que jamais aprendi”

Laços de gratidão

O acto de se expressar gratidão torna-nos vulneráveis e autênticos, criando uma afinidade humana poderosa entre quem dá e quem recebe

Tempo(s) de Humanização

Num tempo em que tanto se fala de desumanização, se queremos contribuir verdadeiramente para humanizar os nossos hospitais, empresas, organizações ou quaisquer tipos de...

Giving Tuesday: Portugal adere a movimento global de generosidade

Sabemos que um apelo para uma causa, feito por de pessoas ou entidades que conhecemos e respeitamos, tem uma melhor resposta, e é esse o papel reservado a cada um: apoiar a causa que o toca para inspirar a sua comunidade a agir

Por que razão trabalhamos tanto?

Se o trabalho constituiu, e durante um longo período, um meio para atingir um fim – ou seja, trabalhávamos para ganhar dinheiro suficiente para prover as nossas necessidades – e a “vida” era o que acontecia fora dele, na actualidade o trabalho é mais um fim e, mais importante, a própria vida

O início da morte do primado do accionista? (I)

O Business Roundtable, lobby empresarial que integra 181 CEOs das maiores empresas dos Estados Unidos, oficializou uma nova Declaração sobre o Propósito da Empresa, na qual se compromete em beneficiar todos os stakeholders e a não colocar os interesses dos accionistas em primeiro lugar.

Porque trabalhar não tem de ser uma tortura

É possível perseguir a felicidade no local de trabalho colocando o enfoque nos nossos sentimentos, comportamentos e hábitos mentais quotidianos, os quais fazem toda a diferença nos 50 por cento do tempo em que estamos acordados e o passamos a trabalhar

A escola da paz

O projecto educativo global Scholas “continua a plantar a oliveira e a semear os valores da cultura e do encontro”

Empatia: faz o bem e faz-nos bem, mesmo nas empresas

Os neurocientistas afirmam que a empatia é como um músculo: se não for exercitado, atrofia, se for trabalhado, cresce

É muito mais cómodo não discutir questões de ética e de valores

Michael J. Sandel, professor de Filosofia em Harvard, esteve em Lisboa para falar sobre o divórcio existente entre ética e valores e a política

COM O APOIO DE:

Parceiro Gulbenkian

Francisco, o Papa que não nos deixa sozinhos

“O drama que estamos a atravessar impele-nos a levar a sério o que é sério, a não nos perdermos em coisas de pouco valor; a redescobrir que a vida não serve, se não é para servir. Porque a vida mede-se pelo amor”

Privacy Preference Center

Necessary

Este site usa cookies para fornecer uma melhor experiência de navegação.

Cookies essenciais. Podemos usar cookies essenciais para autenticar usuários e impedir o uso fraudulento de contas de utilizadores.