“Incumprimento em Tempo de Pandemia – Desafios e Oportunidades na Economia”

“O sul da Europa lidera a lista dos 24 países com maiores quebras de rendimento, com Portugal a ocupar o 2º lugar do ranking, em conjunto com a Itália”

1507 empresas renovam compromisso de pagar a horas

“A renovação simbólica deste compromisso faz-nos acreditar que da transformação decorrente deste ‘contrato’ é possível alterar a cultura do atraso sistemático nos pagamentos tão enraizada entre os líderes portugueses”

Atrasos nos pagamentos, pandemia e os novos riscos

“Os setores mais expostos aos impactos da pandemia são os que estão a aumentar mais significativamente os dias de atraso nos pagamentos aos seus fornecedores”

Só 3% das grandes empresas pagam a horas

0
Pagar a horas podia ser uma espécie de bazuca europeia de efeitos constantes na liquidez das empresas portuguesas. Mas o Estado continua a reter...

Uma economia onde apenas 16% das organizações pagam a horas está “gravemente doente”

“Como podemos motivar um líder a pagar no prazo acordado?”

O impacto dos pagamentos atrasados na economia

Toda a relação empresarial deve assentar no respeito pelos compromissos assumidos. O respeito pelos prazos de pagamento acordados é tão importante como qualquer outro...

Estado volta a atrasar pagamentos a fornecedores

Dívidas regressam a valores de Janeiro 2020

Crise pandémica reforça urgência de pagamento a horas

É essencial, especialmente em situações de crise, reafirmar que pagar a horas é um instrumento central para ajudar a manter a liquidez das empresas e, desta forma, garantir a sua sobrevivência

Os ciclos políticos de governação e os pagamentos pontuais

0
Ao nível do Estado verifica-se que a significativa redução dos prazos de pagamento implementada no ciclo político que terminou no 4º trimestre de 2015 se manteve durante a legislatura que agora terminou

Desafio ao novo Governo e aos Líderes empresariais

0
Portugal continua a ser um país com uma realidade de prazos e práticas de pagamento muito negativas quer ao nível do Estado quer ao nível das empresas

Miguel Stilwell: A transição energética é um desígnio para a EDP

0
“Prezo muito a humildade, a capacidade de ouvir, de ter as melhores pessoas possíveis à volta - e que sejam melhores do que eu -, sem esquecer o que é fundamental para a própria EDP: a humildade, a justiça, a ética e a capacidade de fazer o bem”

Gratidão

Rede Sociais

4,150FansCurti

Privacy Preference Center

Necessary

Este site usa cookies para fornecer uma melhor experiência de navegação.

Cookies essenciais. Podemos usar cookies essenciais para autenticar usuários e impedir o uso fraudulento de contas de utilizadores.