Porque o medo também é contagioso

“O que faz o coronavírus ser particularmente alarmante é o facto de estar rodeado de incógnitas e, mesmo sabendo-se que, no abstracto, a doença pode ser considerada como ‘ligeira’, a verdade é que tal não ajuda a inibir o medo”

Os perigos de “seguirmos a nossa paixão”

Existe uma enorme diferença entre controlarmos a nossa paixão ou deixar que seja ela a controlar-nos

A batalha para a confiança será travada no campo do comportamento...

A análise identificou que a confiança é construída de acordo com dois factores por excelência: a competência e o comportamento ético. E uma avaliação mais profunda demonstrou que, nos dias de hoje, nenhuma instituição é considerada como simultaneamente competente e ética

Os poucos super-ricos para os muitos super-pobres

Os governos têm de dar passos no sentido de reduzirem radicalmente o fosso existente entre os ricos e o resto da sociedade, dando prioridade ao bem-estar de todos os cidadãos em detrimento do crescimento insustentável e do lucro, para evitar um mundo que serve apenas para uns poucos privilegiados e que remete largos milhões para a pobreza

Fjord Trends: como as empresas – e as pessoas – estão...

À medida que os valores societais e a pressão das pessoas estão a forçar as empresas a repensar o seu foco no que respeita a uma definição restrita do crescimento, o capitalismo parece estar a mergulhar numa crise de meia-idade

Resoluções de início de ano: por que é tão difícil mantê-las?

As pessoas encaram geralmente as suas resoluções de ano novo como objectivos de curto prazo a serem atingidos e é por isso que, ao não as alcançarem rapidamente, acabam por se sentir desmotivadas e, na maioria das vezes, desistem.

Laços de gratidão

O acto de se expressar gratidão torna-nos vulneráveis e autênticos, criando uma afinidade humana poderosa entre quem dá e quem recebe

Futuro das profissões: o que eles vão ser quando forem grandes

“Os sistemas cada vez mais capazes irão provocar transformações no trabalho que se assemelharão ao impacto da industrialização nos ofícios tradicionais”

Por que razão trabalhamos tanto?

Se o trabalho constituiu, e durante um longo período, um meio para atingir um fim – ou seja, trabalhávamos para ganhar dinheiro suficiente para prover as nossas necessidades – e a “vida” era o que acontecia fora dele, na actualidade o trabalho é mais um fim e, mais importante, a própria vida

Internet faz 50 anos. Como será o próximo meio século?

Muitos especialistas encaram o futuro da Internet com optimismo. Mas tal só será possível se forem feitas reformas que permitam uma melhor cooperação, segurança, direitos fundamentais e justiça económica

PARCEIROS

parceiros ver

Rede Sociais

4,060FansCurti

Como manter a sanidade mental dentro de quatro paredes

Em toda a história da humanidade, as pessoas sempre procuraram a estrutura de grupo como forma de interagir com outros seres humanos, ou seja, é antinatural não o fazer

Privacy Preference Center

Necessary

Este site usa cookies para fornecer uma melhor experiência de navegação.

Cookies essenciais. Podemos usar cookies essenciais para autenticar usuários e impedir o uso fraudulento de contas de utilizadores.