Resoluções de início de ano: por que é tão difícil mantê-las?

As pessoas encaram geralmente as suas resoluções de ano novo como objectivos de curto prazo a serem atingidos e é por isso que, ao não as alcançarem rapidamente, acabam por se sentir desmotivadas e, na maioria das vezes, desistem.

Laços de gratidão

O acto de se expressar gratidão torna-nos vulneráveis e autênticos, criando uma afinidade humana poderosa entre quem dá e quem recebe

Futuro das profissões: o que eles vão ser quando forem grandes

“Os sistemas cada vez mais capazes irão provocar transformações no trabalho que se assemelharão ao impacto da industrialização nos ofícios tradicionais”

Por que razão trabalhamos tanto?

Se o trabalho constituiu, e durante um longo período, um meio para atingir um fim – ou seja, trabalhávamos para ganhar dinheiro suficiente para prover as nossas necessidades – e a “vida” era o que acontecia fora dele, na actualidade o trabalho é mais um fim e, mais importante, a própria vida

Internet faz 50 anos. Como será o próximo meio século?

Muitos especialistas encaram o futuro da Internet com optimismo. Mas tal só será possível se forem feitas reformas que permitam uma melhor cooperação, segurança, direitos fundamentais e justiça económica

Portugal é 5º classificado entre países “amigos” das famílias

O relatório da UNICEF que avalia várias políticas de apoio à conciliação entre vida familiar e profissional coloca Portugal em 5º lugar, em 41 países analisados, à frente da França, da Alemanha ou da Dinamarca

Vida digital: o direito de esquecer e de ser esquecido

No mundo digital em que vivemos, tudo é minuciosamente documentado, etiquetado, partilhado e qualquer coisa, a qualquer momento, pode emergir no presente, mesmo que, e supostamente, devesse ter ficado no passado.

Férias, sem culpa

Sentimentos de culpa e incapacidade de “desligar” são crescentemente comuns entre os trabalhadores que vão de férias

Como as tecnologias alteram as nossas emoções

“A tecnologia, por si só, não determina os sentimentos, mas a cultura alargada, da qual a mesma faz parte, decerto que os molda”, afirmam os autores de Bored, Lonely, Angry, Stupid

Empatia: faz o bem e faz-nos bem, mesmo nas empresas

Os neurocientistas afirmam que a empatia é como um músculo: se não for exercitado, atrofia, se for trabalhado, cresce

PARCEIROS

parceiros ver

Rede Sociais

4,058FansCurti

Luis Cabral: “A justiça social vai muito para além da criação...

“O Estado Social do Século XX — em Portugal e em muitos outros países — encontra-se em situação de ruptura. Tudo isto aponta para a necessidade urgente de um novo modelo de solidariedade”

Privacy Preference Center

Necessary

Este site usa cookies para fornecer uma melhor experiência de navegação.

Cookies essenciais. Podemos usar cookies essenciais para autenticar usuários e impedir o uso fraudulento de contas de utilizadores.