WhistleBlowing ou SpeakUp?

0
“Ninguém se tem que sentir ‘herói’ para reportar. Reportar terá que ser encarado como um comportamento natural, desejável e até como uma forma de demonstrar respeito por todos os que fazem parte da organização”

Como os gestores influenciam a cultura ética

0
Os empregados cujos gestores discutem frequentemente tópicos de ética e compliance têm o dobro de probabilidades de se sentirem confortáveis para falarem com os seus chefes se tiverem suspeitas ou provas de má conduta

Ética: mais do que uma nota de pé de página

0
“No centro da ética figura o princípio de fazer o bem. E evitar agir erradamente é a consequência deste princípio básico. Assim, o que é realmente importante é fazer o bem e não evitar fazer o mal”

Ética e “Responsabilidade Social Corporativa”: uma visão pessoal

0
A empresa tem uma racionalidade económica própria, mas não é «intrinsecamente neutra nem de natureza desumana e antissocial»

Liderança: humildade e soberba

0
Um líder humilde tem noção apurada das suas próprias forças e fraquezas, reconhece as qualidades e os contributos dos outros, e está disposto a aprender. A humildade não deve ser confundida com fraca autoestima nem com a tendência para se deixar humilhar

“Donos da ética” nas empresas tecnológicas vivem em tensão permanente

0
O desafio principal para estes donos da ética reside no facto de terem de se posicionar numa batalha em que, por um lado, é necessário terem atenção às pressões externas para responderem às crises éticas e, por outro e em simultâneo, terem de responder à lógica interna das suas empresas e indústria

Geração mais nova de licenciados quer estudar ética

0
É possível afirmar que este interesse crescente na ética é, certamente, um reconhecimento da realidade em que vivemos

Negócio, Ética e Decisão

0
Quanto mais poder de decisão, maior a responsabilidade de vigilância constante face a critérios éticos na decisão

Duas maneiras de se ser socialmente responsável

0
“Observo muita responsabilidade social da empresa do segundo tipo, a “exigida” e, parece-me, menos do primeiro, a virtuosa”

Maças podres, cultura e factores situacionais: o porquê e o como...

0
Não existe nenhuma receita mágica para erradicar os lapsos éticos, mas através de uma melhor percepção do que influencia a tomada de decisão e o comportamento das pessoas, as empresas poderão agir com base em melhores evidências para os combater