1507 empresas renovam compromisso de pagar a horas

0
“A renovação simbólica deste compromisso faz-nos acreditar que da transformação decorrente deste ‘contrato’ é possível alterar a cultura do atraso sistemático nos pagamentos tão enraizada entre os líderes portugueses”

Atrasos nos pagamentos, pandemia e os novos riscos

“Os setores mais expostos aos impactos da pandemia são os que estão a aumentar mais significativamente os dias de atraso nos pagamentos aos seus fornecedores”

Só 3% das grandes empresas pagam a horas

0
Pagar a horas podia ser uma espécie de bazuca europeia de efeitos constantes na liquidez das empresas portuguesas. Mas o Estado continua a reter...

Uma economia onde apenas 16% das organizações pagam a horas está...

0
“Como podemos motivar um líder a pagar no prazo acordado?”

“É claro que o país não está ‘em moratória’”, defende Paulo...

0
“Uma forma de contribuirmos para sair desta crise é sermos uma liderança que corresponda ao que as pessoas sentem neste momento”

Gestores e empresários olham para o futuro com pessimismo

0
Com o país a viver momentos catastróficos, não é de admirar que um clima de derrotismo generalizado se instale em toda a sociedade. E...

Será que 2021 pode (ainda) ser o “ano da transição”?

0
Ainda existe esperança de que 2021 possa ser “o ano da transição”

2021: ou o mundo abraça o multilateralismo ou o resultado será...

0
Da cooperação entre os países - ou da falta dela – dependerá, em muito, a próxima década

Capitalismo inclusivo com a bênção do Papa

0
"É urgentemente necessário um sistema económico que seja justo, digno de confiança e capaz de enfrentar os desafios mais profundos que a humanidade e o nosso planeta enfrentam”.

“Ou fazem parte dos lugares onde o futuro é gerado ou...

0
“Vós não podeis permanecer fora dos centros que estão a moldar não só o vosso futuro mas, e estou convencido, o vosso presente”

COM O APOIO DE:

Parceiro Credit Suisse

O mundo VUCA está obsoleto. Para o caos, nasceu um novo...

0
“Os métodos que temos desenvolvido ao longo dos anos para reconhecer e responder às perturbações comuns parecem cada vez mais dolorosamente inadequados quando o mundo parece estar a desmoronar-se. E é difícil ver o quadro geral quando tudo insiste em colorir fora das linhas”