Estado volta a atrasar pagamentos a fornecedores

Dívidas regressam a valores de Janeiro 2020

Crise pandémica reforça urgência de pagamento a horas

É essencial, especialmente em situações de crise, reafirmar que pagar a horas é um instrumento central para ajudar a manter a liquidez das empresas e, desta forma, garantir a sua sobrevivência

Crise pandémica reforça urgência de pagamento a horas

Se, em tempos de “normalidade”, o compromisso de pagar atempadamente aos fornecedores constituía, para além de uma obrigação, um imperativo ético, na presente crise sanitária e económica este dever poderá ditar a sobrevivência ou a extinção de muitas empresas.

Informação inovadora para tempos de crise

Em Portugal, os atrasos nos pagamentos não são um problema de agora, mas as suas consequências podem revelar-se especialmente graves perante uma situação em que um número muito significativo de empresas está a sofrer um impacto que põe em causa a sua operação e, no limite, a sua sobrevivência

Risco de pagamento em tempos de Covid-19 e resiliência financeira

0
Sendo ainda prematuro apresentar uma análise conclusiva dos impactos provocados pela pandemia nos prazos de pagamento das empresas nacionais, a Informa DB publicou um estudo, em Setembro último, cujos dados indiciam já um agravamento nesta matéria.

Estado tem de pagar dívidas aos fornecedores

É essencial, especialmente em situações de crise, reafirmar que pagar a horas é um instrumento central para ajudar a manter a liquidez das empresas e, desta forma, garantir a sobrevivência e a recuperação económica

Cumprir e honrar os compromissos é melhorar a economia

0
Assumindo mais uma vez as suas responsabilidades enquanto promotora de associativismo com valor, a AIMMAP foi a primeira associação sectorial a unir-se ao compromisso...

Um compromisso pela competitividade

A pontualidade no pagamento a fornecedores contraria o estrangulamento da gestão empresarial e os reconhecidos obstáculos ao crescimento económico – incluindo falências, desemprego e...

Como seria a produtividade se as empresas pagassem a horas?

Uma economia onde apenas 16% das empresas pagam no prazo acordado é uma economia “gravemente doente”, que cria desconfiança entre os agentes económicos e...

Façamos aos outros o que queremos que nos façam a nós

Segundo estudos recentes, 33% das empresas referem que o atraso nos pagamentos penaliza ou retarda o seu crescimento. Sabemos que atravessamos um período muito...

Vacinação global: o bom, o mau e o (muito) feio

0
“Os países de alto rendimento adoptaram uma abordagem semelhante à da ‘lei da selva’ quando se trata de garantir o fornecimento de possíveis vacinas contra o coronavírus”

Rede Sociais

4,152FansCurti