O recente canal online de doação a favor do Banco Alimentar contra a Fome recolheu 68 mil toneladas de alimentos, num valor de 76.600 euros, em apenas uma semana. Perante a onda inusitada de internautas provenientes de 94 países, Isabel Jonet, presidente dos BAs e Patrícia Fernandes, responsável pela área de Cidadania e Responsabilidade Social da Microsoft (parceira do projecto) comprovam: há uma nova rede social na Internet, que se chama solidariedade
POR GABRIELA COSTA

26,165 litros de leite, 11,082 litros de azeite, 10, 878 toneladas de açúcar, 9,803 litros de óleo, 7,176 toneladas de salsichas e 2,590 toneladas de atum. Foram estes – e nestas quantidades – os alimentos mais doados em www.alimentestaideia.net, o novo canal online de doação de alimentos do Banco Alimentar, que recolheu um total de cerca de 68 mil toneladas de alimentos em pouco mais de uma semana, desde que foi lançado, a 26 de Maio, até ao passado dia 5 de Junho. Perto de quatro mil internautas contribuíram com bens essenciais para muitas famílias necessitadas, num valor total de 76,600 Euros.

O acesso ao portal da Campanha “Alimente esta Ideia … Agora também Online” por parte de doadores oriundos de 94 países (o que traduz “o claro impacto da iniciativa junto dos portugueses na diáspora”) foi o melhor arranque para a criação de uma nova rede social solidária, encorajando o desenvolvimento deste tipo de projectos e multiplicando a vontade de envolvimento de todos os portugueses nesta causa social, como divulga a Microsoft no balanço da campanha que coincidiu com a Campanha Ajuda Vale no canal de retalho, na sequência da recolha realizada no último fim-de-semana de Maio em muitos supermercados nacionais.

55 mil cliques por uma “causa nacional”
Com a conclusão da campanha de doação online, o projecto desenvolvido pela Microsoft Portugal e a Link Consulting em regime voluntário para o Banco Alimentar entra numa nova fase, permanecendo online, mas apenas focado na componente da socialização em rede. A componente transaccional do portal deixou de estar disponível e só voltará a estar online durante o período de recolha de alimentos de Inverno, e irá agora apresentar em permanência e com actualização periódica informação estatística (distribuição de alimentos pelos dezanove Bancos da Federação e informação demográfica sobre os doadores, por exemplo) e sociológica sobre os bens doados: de que forma estão a ser distribuídos e a impactar as 329 mil famílias que diariamente dependem da ajuda do Banco Alimentar e da rede de instituições que este abastece.

Criado pela área Interactive Emotions da Link Consulting, o portal online de doação de bens alimentares foi desenvolvido com base em tecnologia Microsoft, concretamente o novo Windows Azure, e assenta por isso em modelo “Cloud Computing”. A aplicação ficou e continua alojada na Web e “apresentou a elasticidade esperada, o que permitiu suportar o sistema em funcionamento permanente durante os períodos de pico de acesso/doações com uma disponibilidade total online de cem por cento, sem falhas nem indisponibilidades e com custos perfeitamente controlados”, garante a Microsoft.

Para a especialista em tecnologia, só foi possível alcançar este resultado graças à opção por parte da Link por este novo modelo tecnológico, visto que garantir a mesma disponibilidade da aplicação, sobretudo nos períodos de picos de acesso, assente num cenário tecnológico e infraestrutura tradicionais teria obrigado a uma gestão/custo incomportáveis.

Já para a presidente da Federação Portuguesa de Bancos Alimentares, tanto a Link como a Microsoft demonstraram, com esta parceria voluntária, um elevado sentido de Responsabilidade Social. O resultado é “o enorme potencial desta campanha” a que se associaram, em tão poucos dias, e de forma “extraordinária” pessoas de 94 países.

Em entrevista ao VER, Patrícia Fernandes, responsável pela área de Cidadania e Responsabilidade Social da Microsoft, sublinha que “num contexto tão desafiante como aquele que Portugal vive, ninguém nem nenhuma empresa pode ficar indiferente” a uma iniciativa que dá a oportunidade a todos os portugueses (incluindo os que vivem fora de Portugal) de contribuírem solidariamente para ajudar a alimentar as famílias sem recursos.

.
.
© Microsoft
Patrícia Fernandes, responsável pela área de Cidadania e Responsabilidade Social da Microsoft
. .
.

O que motivou esta parceria solidária para a criação de um canal de recolha de alimentos na Internet, complementar ao canal tradicional do BA nas cadeias de retalho?
Este é um dos mais inovadores projectos da Microsoft e que concretiza na totalidade a nossa missão de fazer e colocar a tecnologia ao serviço das pessoas. Num contexto tão desafiante como aquele que Portugal vive, ninguém nem nenhuma empresa pode ficar indiferente, e por isso há que adaptar as políticas e sobretudo as iniciativas de Responsabilidade Social a esse contexto.

Conscientes das necessidades e carências de milhares de pessoas e do papel crucial que o Banco Alimentar contra a Fome assume na resposta a estas questões, resolvemos tentar fazer algo diferente, a partir de uma ideia de base: como é que podemos colocar a mais moderna tecnologia na resolução de algo tão básico mas tão necessário como a Alimentação e ajudar quem não a pode comprar?

Tudo começou, por isso, aqui e com a ajuda de um parceiro (a Link Consulting, que foi absolutamente chave no projecto, pois foi quem desenhou, desenvolveu e implementou a solução tecnológica), conseguimos materializar esta ideia e disponibilizar a nossa tecnologia mais actual, criando um canal de recolha de alimentos online que, de forma muito simples, dá a oportunidade a todos os portugueses (que vivem em e fora de Portugal) de contribuírem solidariamente para ajudar a alimentar as famílias sem recursos, que têm de recorrer à ajuda do Banco Alimentar.

Que significado tem para a Microsoft apoiar, com as suas competências tecnológicas, um canal que permitirá a criação de uma comunidade online de doadores permanente?
É para a Microsoft um grande orgulho a concretização deste projecto solidário a favor do Banco Alimentar contra a Fome, na medida em que aliamos a nossa mais moderna tecnologia “Cloud” com uma necessidade básica, que é alimentar as famílias que não podem comprar alimentos para assegurar a sua subsistência, tendo por isso de recorrer à ajuda do BA. O novo canal de recolha de alimentos online é o exemplo claro de um projecto voluntário a favor de uma causa verdadeiramente nacional.

Este canal de doação pretende funcionar como complemento ao canal tradicional de recolha de bens alimentares nas cadeias de retalho, apresentando um carácter de permanência, já que a sua existência vai muito para além da recolha de alimentos e tem como propósito secundário à doação, a criação de uma comunidade online de doadores. O objectivo é que a comunidade de doadores entretanto criada possa acompanhar em tempo real o impacto que os seus bens alimentares doados estão a ter na vida das famílias que recorrem à ajuda do Banco Alimentar.
Trata-se também de uma forma inovadora de motivar o envolvimento dos portugueses já que, pela primeira vez, está integrada com as principais redes sociais e móveis, dando assim a oportunidade a todos os portugueses, mas também a uma franja social em particular – os mais jovens – de poderem contribuir solidariamente e  de forma simples através do canal online.
Com este projecto, não só estamos a disponibilizar a nossa mais moderna tecnologia “Cloud” para um projecto inteiramente social, mas também a contribuir para uma maior profissionalização do Terceiro Sector.

Como funcionará esta comunidade, nomeadamente em ligação às redes sociais? Quais são os objectivos da campanha “Alimente esta Ideia…  agora também online”, também desenvolvida pela Microsoft?
A integração com as principais redes sociais e móveis é, sem dúvida, um dos aspectos diferenciadores e uma das grandes mais-valias do portal online, na medida em que permite ampliar o envolvimento com o projecto, impactando um conjunto de doadores – a comunidade de internautas – que frequentemente não vão ao supermercado durante os períodos de recolha de alimentos e que têm aqui a oportunidade de ajudar os que mais precisam.

A acompanhar a inauguração do portal de doação de alimentos online foi também lançada a campanha publicitária online “Alimente esta ideia … agora também online”, que decorreu no sistema de correio electrónico Hotmail, no portal de conteúdos MSN e no próprio Windows Messenger, e que consistiu num conjunto de banners interactivos com a imagem do Banco Alimentar, que apelavam à generosidade do internauta, remetendo para o portal de doação.

O portal “Alimente esta ideia … agora também online” está disponível a partir de qualquer browser web em http://alimentestaideia.net , mas está também integrado em três pontos de acesso alternativos, procurando, assim, aumentar a visibilidade do portal e angariar doações nas comunidades mais fortes online: a comunidade de utilizadores de Windows Messenger, a comunidade presente no Facebook e os utilizadores de telemóveis, que nesta fase inicial puderam descarregar uma aplicação gratuita que replica o portal de doação online, a partir da qual fizeram as suas doações (pagando por multibanco), seguindo nos seus dispositivos móveis a evolução das doações no portal, mesmo após a campanha de doação, que terminou a 5 de Junho.

Durante o período intermédio que dista as duas recolhas de bens anuais, o portal irá alimentar e desenvolver uma comunidade online formada por todos os internautas doadores, com informações que lhes permita aferir, de forma virtual mas real, o impacto que as suas doações estão a ter no terreno e junto das famílias que recorrem à ajuda do BA. O objectivo é ligar emocionalmente a comunidade ao projecto e incentivá-la a continuar a doar no período de recolha seguinte, incrementando, se possível, o volume de bens alimentares doados.

 

Isabel Jonet é uma mulher que dispensa apresentações. Ultradinâmica e sem tempo a perder, lançou mãos à obra em mais uma causa social, desta vez estendendo a missão da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares contra a Fome, a que preside, a todo o mundo português, colocando a tecnologia móvel e as grandes ferramentas de partilha na Web – do Facebook ao Twitter, passando pelo Messenger – ao serviço da nova rede social solidária: “Alimente esta Ideia … Agora também Online”. Em entrevista ao VER, Jonet explica a importância de envolver afectivamente toda uma comunidade online de doares, na difícil conjuntura nacional.
© Microsoft

Uma campanha contra a crise…
“O objectivo da campanha “Alimente esta Ideia…  agora também online” é duplo:  alertar para a situação em que vivem tantas famílias portuguesas afectadas pela actual situação de crise, em que o desemprego atinge de forma brutal muitas pessoas em idade laboral que dificilmente reencontrarão lugar no mercado de trabalho; e recolher produtos básicos à alimentação relativamente aos quais não existem excedentes de produção e, portanto, que não entram com regularidade nos Bancos Alimentares”.

Porquê um canal de recolha online…
“A Internet faz parte da vida de muitos portugueses e ocupa actualmente um lugar incontornável. Muitas pessoas, residentes e não residentes em Portugal, expressaram vontade de contribuir para os mais pobres da sua região e esta pareceu-nos uma ferramenta adaptada a essa realidade e que, com criatividade, poderia mobilizar mais pessoas, principalmente jovens, para a causa da luta contra as carências alimentares em Portugal”.

Como funciona…
“Duas vezes por ano – no último fim-de-semana de Maio e no último fim de semana de Novembro, por um período de uma semana que coincide com a Campanha Ajuda Vale – estarão disponíveis as doações online. A nova plataforma electrónica de recolha de alimentos caracteriza-se por uma grande simplicidade e acesso ao mais baixo preço do mercado a um conjunto de produtos alimentares essenciais para ajuda às famílias.

O pagamento será feito por sistema Multibanco, tal como com qualquer outro pagamento de serviços ou compra na Internet. O doador, após seleccionar os produtos e quantidades que pretende doar, irá confirmar a aceitação do montante total a pagar. Para concluir a operação poderá utilizar a sua plataforma normal de homebanking e concluir a doação por via electrónica, ou dirigir-se, em alternativa, a um caixa Multibanco e concluir aí o pagamento, usando em qualquer caso a referência e o código atribuídos, que entretanto lhes foram enviados automaticamente por correio electrónico.

Uma mais-valia da plataforma electrónica de recolha de alimentos consiste na sua ligação às principais redes sociais e móveis, como o Facebook e o Messenger (com capacidade para instalação de Apps).
O portal permanecerá online após o período de recolha de bens, com o objectivo de construir e alimentar uma comunidade online de doadores e manter o seu envolvimento emocional com os BAs, dando-lhes uma noção permanente do impacto das suas doações ao longo do tempo e até ao próximo período de recolha de alimentos, em Novembro”.

Com que impacto arranca…
“Durante a primeira semana da campanha, registaram-se 3962 doações e várias dezenas de milhares de visitas ao site, por parte de pessoas oriundas de 94 países. Os internautas que frequentam as redes sociais são essencialmente jovens, embora também naveguem os menos jovens. Os maiores doadores foram Portugal, seguido de Angola, Brasil, Suíça e Reino Unido”.

Que força tem uma comunidade virtual…
“Este projecto visa criar uma comunidade online de doadores, com os quais se pretende estabelecer uma ligação emocional, perpetuando o seu envolvimento com o acto de doação e dando-lhes, simultaneamente, a oportunidade de poderem acompanhar, em tempo real e de forma virtual, o impacto das suas doações junto das famílias que recorrem aos BAs. O que pretendemos é ir dando noticias sobre a actividade às pessoas que contribuíram com alimentos. Assim podem sempre acompanhar-nos durante o ano e até deixar sugestões”.

Gabriela Costa

Jornalista