Boas contas fazem boas empresas, que geram emprego e criam um ciclo virtuoso que beneficia toda a economia. Este é o objectivo do Compromisso Pagamento Pontual da ACEGE, Associação Cristã de Empresários e Gestores, uma iniciativa que já ultrapassa as 300 empresas aderentes que assumem o compromisso público de pagar a horas aos seus fornecedores

O crescimento de empresas aderentes é fruto de uma campanha, realizada em parceria com CIP, IAPMEI e APIFARMA, que pretende promover uma cultura nacional (empresarial e pública) de “pagamento no prazo acordado aos fornecedores”.

De acordo com a ACEGE, os constrangimentos causados pelo atraso nos pagamentos constituem um real estrangulamento para o desenvolvimento das empresas e, consequentemente, para o crescimento da economia portuguesa.

O Compromisso Pagamento Pontual é uma iniciativa que pretende promover o compromisso público das empresas em pagar aos fornecedores na data acordada e assim contribuírem para a reconstrução da economia Portuguesa.

Uma cultura de pagamentos atrasados que tem tido, nos diversos níveis do Estado português (central, regional e local), um dos principais responsáveis pela situação: em Dezembro de 2012, as dívidas por pagar com mais de 90 dias atingiam o valor de 4,6 mil milhões de euros, cerca de 3% do PIB, e o prazo de pagamento de uma factura a demorava, em média, 133 dias, englobando um atraso sobre o prazo acordado de 73 dias.

Esta é uma questão dramática, especialmente num contexto de dificuldades acrescidas no acesso ao crédito, em que o desvio do escasso capital disponível – de uma função de investimento para a função de apoio à tesouraria -, limita o crescimento e asfixia as empresas, especialmente as PME e as que vivem maiores dificuldades. Uma oportunidade que Portugal agradece e que não pode desperdiçar.

A ACEGE promoveu, igualmente, em conjunto com o IAPMEI, a CIP e QREN-COMPETE, uma Tomada de Posição conjunta para impulsionar o Pagamento Pontual como factor crítico de sucesso da economia portuguesa e em particular para as pequenas e médias empresas.