Nos tempos conturbados em que vivemos, as pessoas enfrentam as mais variadas mudanças nas suas vidas. O imprevisível é uma constante a que temos de nos habituar e saber gerir. Consequentemente, as organizações necessitam de compreender como podem as pessoas construir valor através do trabalho
POR ANTÓNIO RODRIGUES

Do outro lado, os profissionais de recursos humanos não podem deixar de compreender a complexidade psicossocial das pessoas, ainda que o seu papel principal continue a ser o de criar valor e gerar resultados. O grande desafio desses profissionais na maioria das organizações é demonstrar a sua contribuição para o negócio em vez da perspectiva sobre o que “fazer” na organização. O contexto actual que as organizações atravessam e a própria mudança associada à vida laboral das pessoas em termos do vínculo de relacionamento com a organização pode ser facilitadora na construção de valor e de parâmetros de desempenho.

Nenhuma organização está em condições de assegurar emprego duradouro. Com contratos psicológicos mais frágeis, pessoas e organizações têm de se reajustar a uma nova ou a várias realidades sem colocar em causa a continuidade da organização.

Num estudo elaborado pela consultora KPMG, apenas 17% dos entrevistados consideraram que os recursos humanos agregam valor ao negócio e também outro estudo apresentado por aquela consultora identifica três grandes desafios nos quais os gestores de recursos humanos devem investir os seus esforços: balancear o global com o local, gerir pessoas e reter talentos.

Kaplan (“The Balanced Scorecard – Translating Strategy into Action)não duvida que os profissionais de recursos humanos saibam que os recursos humanos podem realmente ser uma fonte de criação de valor. Porém, a grande dificuldade, que nem todos conseguem ultrapassar, é identificar as mudanças no sistema de recursos humanos que vão permitir criar valor em cada organização.

Um sistema de alto desempenho de recursos humanos é o primeiro passo. As organizações devem posicionar o sistema de recursos humanos no processo de implementação da estratégia do negócio, tal como preconiza Kaplan: “os profissionais de recursos humanos devem estar conscientes do seu papel de criação de valor através das pessoas. Uma organização enfocada na estratégia começa com um profissional enfocado na estratégia”.

“Para que os profissionais de recursos humanos agreguem valor às suas empresas devem assumir papéis cada vez mais complexos e às vezes até mesmo paradoxais” (Ulrich – “Human Resource Champions”,). Os profissionais de recursos humanos devem determinar em que medida as suas práticas de recursos humanos contribuem para a construção das capacidades organizacionais necessárias.

Manter viva a visão da organização, ser coerente entre o que se diz e o que se faz e ser íntegro são estratégias a preservar para manter o alto desempenho nas organizações. A credibilidade como prática diária dos profissionais de recursos humanos é uma oportunidade de aumentar o seu reconhecimento e compromisso de agregar valor à estratégia da organização.

António Rodrigues

Professor Universitário