Se é verdade que sorte e sucesso são conceitos que se confundem com alguma frequência, também é verdade que que os dois estão constantemente associados. Regra geral, sorte está relacionada com a probabilidade de um acontecimento, ao passo que sucesso é o fruto do nosso talento, esforço e dedicação para alcançar algo

POR CATARINA PINTASSILGO

Sucesso e sorte são dois conceitos que se tornam frequentemente confusos no diálogo, mas estão constantemente associados. Normalmente, sorte está relacionada com a probabilidade de um acontecimento, tal como ganhar um jogo numa máquina de slots, num casino. Por outro lado, sucesso é o fruto do nosso esforço e dedicação para alcançar algo, como por exemplo, uma promoção a nível profissional. Sucesso está directamente relacionado com o dom natural ou vocação de uma pessoa para algo.

Catarina Pintassilgo, estudante de Bioquímica Médica na Universidade de Huddersfield

Agora, se pensarmos numa situação em que ambos os termos se conjugam, temos, por exemplo, jogar na lotaria. Neste caso, o sucesso está relacionado com o talento e a possibilidade de escolher os números para jogar, enquanto sorte é a probabilidade de os números escolhidos serem os premiados. Este é apenas um exemplo que prova que sucesso e sorte andam, de facto, lado a lado.

Todos já passámos por uma situação em que, em termos de vocabulário, nos foi atribuído o termo errado. Por exemplo, antes de algum tipo de apresentação importante para a carreira profissional de alguém, as pessoas têm tendência a desejar boa sorte, o que neste caso, não é o termo que se aplica. Neste exemplo, a pessoa que está prestes a fazer a apresentação de um dito projecto, que é resultado do seu trabalho árduo e esforço, não precisa de sorte, que é um factor dependente de probabilidades, por este motivo, desejar boa sorte é, de alguma forma, esperar que a probabilidade de correr bem seja como jogar na roleta. Daí, em vez de desejar boa sorte, o termo correto seria desejar sucesso, e que o esforço da pessoa tenha o resultado desejado.

Infelizmente, o sucesso de uma pessoa nem sempre depende verdadeiramente do seu talento. Por vezes, o ascender da carreira de uma pessoa depende das oportunidades que são colocadas na mesa à sua frente, e muitas vezes estas oportunidades não aparecem duas vezes. Manter uma mente aberta, ser inovador, prestar atenção ao que acontece ao seu redor, observar o sucesso alheio, manter-se ativo a nível social, explorando os seus hobbies, são apenas alguns dos conselhos que podemos oferecer para o manter aberto de alguma forma às oportunidades que podem surgir.

Estudos realizados, com estudantes de uma universidade americana, provaram que o sucesso está directamente relacionado com carreiras que nos fazem felizes. Este estudo foi realizado ao longo de 20 anos com 1500 recém-licenciados. 83% destes estudantes procuravam retorno financeiro e carreiras profissionais, enquanto os outros 17% simplesmente procuravam ser felizes. Ao fim do período de 20 anos, apenas 102 pessoas dos 1500 alunos teriam sido bem sucedidos na vida profissional, em que 101 faziam parte dos inciais 17% que procuravam ser felizes. Desta forma, foi possível comprovar que a felicidade é o principal factor para alcançar sucesso e dinheiro, em vez de pura ambição.

Daqui concluímos que ter sorte e sucesso dependem apenas do que esperamos das nossas vidas, das nossas escolhas e principalmente as nossas vontades, para além da energia e determinação para alcançar algo.