Chama-se Perach – que significa “flor” em hebraico – e visa formar jovens universitários para serem mentores e tutores de crianças desfavorecidas nas comunidades mais pobres de Israel. Presente em outros 25 países, o Perach Tutorial Project foi fundado há mais de 40 anos, mas continua tão ou mais necessário quanto antes. E brevemente será Portugal a acolher o projecto israelita
POR AMOS CARMELI

Perach – que significa “flor” em hebraico, é também o acrónimo do programa israelita de mentores e tutores – uma organização apolítica, sem fins lucrativos, que opera sob os auspícios do Davidson Institute, pertencente  ao Weizmann Institute of Science, e do Conselho Israelita para o Ensino Superior. O projecto, estabelecido em 1974, envolve estudantes que frequentam os institutos de educação superior israelitas em actividades educativas e culturais com crianças desfavorecidas provenientes de meios socioeconómicos de baixo rendimento.

Os principais objectivos do Perach são cuidar, potenciar e fazer avançar as crianças necessitadas fornecendo, em simultâneo, apoio aos estudantes envolvidos no projecto no que respeita aos custos com a sua própria educação sob a forma de uma bolsa que os cobre parcialmente. Adicionalmente, o Perach junta pessoas da sociedade israelita, de backgrounds distintos, e encoraja os estudantes a envolverem-se mais na comunidade e a aprofundarem a sua sensibilização para muitos e variados problemas que afectam os mais pobres e necessitados.

Amos Carmeli é presidente do Perach International

Actualmente, fazem parte do projecto cerca de 25 mil estudantes e mais de 40 mil crianças, o qual opera em todo o país, abarcando todos os sectores da sociedade israelita (judeus, árabes, religiosos ou laicos).

O Perach realiza actividades diversas – disponibilizando desde mentores individuais a “aulas” de grupo nas áreas da Saúde, Ambiente, Ciência, Artes, entre outras, operando ainda em centros de ciências e comunicação nos bairros mais pobres da região.

Todos os estudantes recebem formação prévia antes de iniciarem as suas funções e, ao longo dos programas, a Perach assegura também que os mesmos se mantenham particularmente atentos às necessidades das comunidades com quem trabalham e aos especiais talentos e capacidades das crianças apoiadas.

O Perach é, provavelmente e também, um dos mais premiados programas de mentores e tutores do mundo. Entre variados tipos de reconhecimento e prémios já recebidos, de destacar o Primeiro Prémio Nacional para a Qualidade no Sector Público, a selecção por parte de um comité internacional como uma das melhores 20 inovações educativas e o reconhecido “Prémio de Israel”, o mais prestigiado galardão conferido pelo Estado a projectos de verdadeira excelência.

Os “agentes do conhecimento” e as gerações futuras

Ausência de oportunidades educativas, iliteracia, ignorância e crianças negligenciadas que deambulam pelas ruas: esta é uma realidade comum entre populações de inúmeras regiões carenciadas espalhadas por todo o mundo e que contribuem para perpetuar situações sombrias de injustiça social e sofrimento humano.

Os mentores do Perach, apesar de não serem profissionais, realizam verdadeiros milagres ao promoverem a literacia e educação nas crianças (a geração futura do país), ajudando-as a dar os passos necessários a caminho do progresso e da prosperidade. Estes alunos universitários são conhecidos como “agentes do conhecimento”, sendo que o Projecto promove igualmente o desenvolvimento da auto-estima e o acreditar em si mesmo (‘sim, eu posso’) com o objectivo de permitir que estes miúdos possam chegar ao ensino secundário, e até universitário, e serem bem-sucedidos.

O projecto cria também uma colaboração única entre os institutos de educação superior, os sistemas sociais e educativos e a comunidade, sendo que um dos principais efeitos secundários do Perach é a sensibilização e responsabilidade social que gera nos seus praticantes, – futuros líderes – , tornando-se um catalisador para a promoção da justiça social.

O Perach já está presente em 25 países

Motivado, inspirado e com uma forte convicção de que um projecto desta natureza pode beneficiar qualquer que seja a comunidade, o Perach International começou a desenvolver contactos com diferentes países para a sua replicação. E, sendo a maior organização com estas características do mundo, cedo se tornou um modelo de inspiração para vários programas análogos.

Assim, o Perach International trabalha e “customiza” todos estes programas de acordo com as necessidades locais, a cultura e as possibilidades existentes, oferecendo-lhes ideias, know-how e um vasto conjunto de materiais e orientações, ao mesmo tempo que presta assistência ao longo de todo o desenvolvimento do projecto, guiando o seu staff e coordenadores e ajudando-os enquanto for necessário.

Actualmente, centenas de universidades, em 25 países espalhados pelo mundo, já adoptaram a ideia e estão a realizar (ou em vias de o fazer) programas similares ao Perach.

“Comece pequeno – planeie GRANDE”é a chave e a ideia base de liderança do Perach e uma forma de garantir que o projecto é bem-sucedido e sustentável.

Assim, deverá começar numa escala reduzida e, depois de um ano a funcionar como projecto-piloto, deverá ser avaliado e ajustado e começar então a crescer com a esperança de se expandir, eventualmente, à escala nacional.

O investimento necessário inicial é relativamente reduzido, sendo que a regra aponta para que a maioria dos recursos deva ser provenientes de financiamentos já existentes, já que a maioria dos países e universidades oferecem bolsas de estudo para ajudar os seus alunos.

O Perach acredita que “não existem almoços grátis” e que os estudantes que recebem ajuda pública deverão dar algo em troca. Um pouco do seu tempo livre (que todos têm) e um pouco dos seus corações podem, com certeza, ser oferecidos a quem precisa mais do que eles.

Nota: Em Portugal, o objectivo é implementar um projecto-piloto do Perach a partir do início de 2018, com o apoio da CML e outras entidades nacionais, nomeadamente da área da educação. A Stone Soup está a promover os contactos entre o Perach Tutorial e as entidades nacionais que possam estar interessadas em apoiar a sua implementação.

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta