HOME >  
 
IKEA
Criar mais soluções com menos recursos

A visão da IKEA assenta num conceito de economia de recursos, com vista à criação de “uma vida mais sustentável em casa” através de soluções criativas e acessíveis. Em entrevista, Ana Teresa Fernandes, Responsável de Comunicação e Sustentabilidade da IKEA Portugal, comenta os progressos do Relatório de Sustentabilidade de 2011 da empresa, recentemente apresentado, e as iniciativas da marca para ajudar as famílias portuguesas a superar a crise. Fundamental, diz, é “causar um impacto positivo na vida dos clientes, colaboradores e fornecedores”
POR GABRIELA COSTA

Com o objectivo de “criar um melhor dia-a-dia para a maioria das pessoas”, a IKEA pratica uma política de sustentabilidade transversal a todas as fases dos produtos da marca. Em 2011, a empresa fez grandes investimentos em energia renovável, utilizada já em “mais de metade” das suas operações; aumentou as doações da IKEA Foundation, cujos programas beneficiam hoje perto de cem milhões de crianças; incrementou a quota de algodão sustentável nos produtos da gama IKEA; melhorou a eficácia energética nas lojas; e, ao nível da certificação de fornecedores, alargou o IWAY, código de conduta que garante as melhores práticas de fornecimento de bens e serviços e o cumprimento de condições de trabalho condignas, a 90% dos seus fornecedores.

Em entrevista ao VER, a Responsável de Comunicação e Sustentabilidade da IKEA Portugal sublinha que a forma de trabalhar na IKEA “tem um impacto muito forte porque não só promovemos como ajudamos a que todos possam poupar recursos e tempo, através de soluções criativas e acessíveis”.

.
.
  Ana Teresa Fernandes, Responsável de comunicação e sustentabilidade da IKEA Portugal
. .
.

 

O Grupo IKEA lançou recentemente o seu relatório de sustentabilidade relativo a 2011. Quais são os principais progressos a assinalar na vossa política de sustentabilidade, caracteristicamente transversal a todas as fases dos produtos da marca?
Na IKEA trabalhamos na área da sustentabilidade em quatro grandes áreas: oferecendo uma gama de produtos cada vez mais sustentável; reduzindo a nossa pegada hídrica e de carbono; convertendo o desperdício em recursos; e actuando ao nível da responsabilidade social. A nossa visão é criar um melhor dia-a-dia para a maioria das pessoas, com o objectivo de causar um impacto positivo na vida dos nossos clientes, colaboradores e fornecedores, assim como no meio ambiente.

Através do mais recente Relatório de Sustentabilidade do Grupo IKEA, podemos concluir que os principais progressos, durante o ano de 2011, foram os seguintes:
- A IKEA fez grandes investimentos em energia renovável, focando-se nas energias solar e eólica, avançando para atingir o objectivo, a longo prazo, de usar energia renovável a 100%. Mais de metade da energia necessária nas operações IKEA provém de fontes renováveis.

- As doações totais da IKEA Foundation aumentaram para 65 milhões de Euros em 2011. Actualmente os programas da IKEA Foundation, geridos por parceiros especializados como a UNICEF e a Save the Children, vão beneficiar cerca de cem milhões de crianças.

- A quota de algodão sustentável nos produtos da gama IKEA aumentou significativamente para mais de cinquenta mil toneladas - representando 23,8% da utilização total de algodão. A IKEA trabalha com a WWF e outros parceiros de forma a ajudar produtores de algodão na Índia, Paquistão, China e Turquia a introduzir métodos de cultivo mais sustentáveis. Actualmente mais de cem mil produtores usam técnicas que reduzem significativamente a necessidade de pesticidas químicos, fertilizantes e água. Este facto contribui para reduções consideráveis nos custos e maior lucro para os produtores de algodão.

- A eficácia energética nas lojas IKEA melhorou em 4%, principalmente através de melhorias nos equipamentos das lojas. Esta situação ajudou a IKEA a poupar 6,2 milhões de Euros durante o ano fiscal de 2011, demonstrando como as melhorias em sustentabilidade podem trazer grandes benefícios ao negócio. Também ajudamos os clientes a poupar energia em casa. Durante 2011, vendemos 168 mil placas de indução de alta eficiência energética, quase metade de todos os fogões comercializados na IKEA.

Quais foram os indicadores-chave de desempenho avaliados no Relatório, e que resultados atingiram nos mesmos?
A IKEA tem vindo a fazer grandes investimentos nas energias solar e eólica e, no final do ano fiscal de 2011 (período compreendido entre 1 de Setembro de 2010 e 31 de Agosto de 2011), a electricidade gerada pelas nossas próprias fontes é já 12% da energia necessária para garantir o funcionamento das nossas lojas e centros de distribuição.

A percentagem de energia renovável usada nos edifícios da IKEA aumentou e, caso este progresso continue, esperamos atingir os 70 a 80% em 2015. Neste momento dispomos de quarenta edifícios com painéis solares instalados e sessenta turbinas eólicas, produzindo cerca de 152 GWT de energia renovável.

Por outro lado, durante o ano fiscal de 2011, a eficiência energética de todas as lojas IKEA aumentou, como disse, 4% comparativamente ao ano anterior. Estes valores foram conseguidos, principalmente, pelas melhorias na eficiência energética das lojas, tais como os sistemas de aquecimento, ventilação e ar condicionado, assim como através de um uso mais inteligente e criterioso da iluminação comercial.
Também trabalhamos no sentido de promover poupança de energia nas casas dos nossos clientes, da forma mais acessível possível, como exemplifiquei com o grande número de placas de indução de alta eficiência energética que vendemos em 2011. Estas placas de indução são muito mais rápidas e eficientes do que as placas eléctricas ou de vitrocerâmica: aquecem apenas os tachos enquanto o resto da placa permanece fria para que não existam praticamente perdas de calor.

Quanto à quota de algodão sustentável nos produtos da gama IKEA, a empresa apoia projectos nas regiões de maior produção deste material, para ajudar os agricultores a produzirem algodão mais sustentável e para combater o trabalho infantil.

O algodão é um dos materiais mais importantes para IKEA. É confortável, macio e resistente – e, acima de tudo, é uma matéria-prima renovável. Ao mesmo tempo, é associado a grandes preocupações ambientais e humanas.

Até ao final do ano fiscal 2015, todo o algodão utilizado nos artigos da IKEA será produzido de acordo com os critérios sociais e ambientais definidos pela associação “Better Cotton Initiative”. Por enquanto, a percentagem de algodão mais sustentável utilizado na IKEA tem vindo a aumentar e é, actualmente, de cerca de 23,8%. Estando a disponibilidade deste material a aumentar, tudo indica que conseguiremos atingir os nossos objectivos em 2015.

Já na área da responsabilidade social, a IKEA Foundation, o braço filantrópico da IKEA que gere os fundos concedidos a projectos sociais a países em desenvolvimento, doou, como referi, 65 milhões de Euros a 47 projectos, em 2011. Este valor representa um aumento de 44% comparativamente ao ano anterior, ano em que foram doados 45 milhões de Euros. Os fundos foram concedidos a 15 organizações, entre as quais o ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados), a Half the Sky, a UNDP, a Save the Children e a UNICEF, beneficiando crianças em mais de trinta países.

Para a IKEA as crianças são as pessoas mais importantes do mundo. A IKEA Foundation apoia vários projectos a longo prazo, no sentido de realizar mudanças positivas e duradouras na vida das crianças e das suas famílias, ajudando-as a quebrar o ciclo da pobreza e a tomarem o controlo do seu futuro. Nos últimos dez anos, a IKEA e a UNICEF têm trabalhado em conjunto, na Índia, para acabar com o trabalho infantil, com o objectivo de criar um melhor futuro para as crianças indianas.

Finalmente, e ao nível da certificação de fornecedores, o Grupo IKEA começou a implementar o IWAY – código de conduta que garante as melhores práticas de fornecimento de bens e serviços na nossa cadeia de fornecedores - em 2000, em fornecedores localizados principalmente na Ásia, mas hoje em dia este código já está implementado em mais de 90% dos nossos fornecedores.

Actualmente temos 1020 fornecedores em todo o mundo, sendo que já estamos a usar também o IWAY em fornecedores só de serviços, como os fornecedores de transporte, de limpeza e de segurança.

© IKEA

Na prática, o IWAY assegura que as condições de trabalho que a IKEA dá aos seus colaboradores são aquelas mínimas que a IKEA exige que os fornecedores dêem aos seus colaboradores: entre outras, os dias de descanso, o pagamento atempado da remuneração e das horas extraordinárias e o direito de trabalhar em condições adequadas ao clima. E, acima de tudo, assegura que as crianças não podem trabalhar, que não são admitidos menores de 16 anos, ou seja que não há trabalho infantil no pipeline de produção.

Temos tentado que os nossos fornecedores, estejam eles em África ou na Ásia, percebam o benefício que podem obter na produtividade dos seus colaboradores, se efectivamente melhorarem as condições de trabalho.

O IWAY divide-se em três vectores: ambiental, social e laboral. É para nós muito gratificante verificar que desde 2000 já fizemos mais de 185 mil progressos nas áreas da sustentabilidade, ambiental e social. Apesar do IWAY ser para a marca um motivo de orgulho, há ainda muito por fazer.

A visão da IKEA assenta num conceito de economia de recursos – “criar mais com menos” -, com vista à criação de “uma vida mais sustentável em casa”. Que impacto tem esta visão na comunidade?
Chegar à maioria das pessoas é um desafio que a IKEA tomou há várias décadas, criando soluções de decoração para a casa e ajudando os nossos clientes a realizarem os seus sonhos da forma mais económica. Na IKEA a consciência de custos, o “criar mais com menos”, é um dos valores que aplicamos no nosso trabalho do dia-a-dia: não só pelo modo como gerimos o nosso negócio, mas no modo como investimos continuamente nos nossos preços para que estes sejam sempre os mais baixos do mercado.

Para os nossos clientes, em particular, e para a comunidade, em geral, esta forma de trabalhar tem um impacto muito forte porque não só promovemos como ajudamos a que todos possam poupar energia, água, materiais, recursos e tempo através de soluções criativas e sempre acessíveis.

“As melhorias em sustentabilidade podem trazer grandes benefícios ao negócio” .
.

Que balanço faz da 1ª edição do Bazar IKEA e que perspectivas têm para a acção no dia 24, nomeadamente no que concerne as doações à ENTRAJUDA e às Aldeias SOS?
A primeira edição do Bazar IKEA foi um sucesso fantástico, de tal forma que esta segunda edição foi promovida, numa fase inicial, por uma comunidade de Facebook chamada “Bazar IKEA: EU QUERO”, constituída espontaneamente para o efeito. Com o entusiasmo que temos sentido dos participantes e tendo as inscrições em algumas lojas esgotado, não duvidamos que este ano o sucesso desta iniciativa seja igual ao da primeira edição.

Relativamente à presença das associações ENTRAJUDA e Aldeias SOS, acreditamos que, ao dar a hipótese aos participantes de doarem os artigos que não consigam vender, estamos a promover não só a reutilização desses mesmos produtos como também a fomentar a preocupação social individual, no sentido de criar um melhor dia-a-dia nestas instituições.

Em que medida está a reutilização de produtos a ajudar as famílias portuguesas na gestão dos seus orçamentos, na difícil conjuntura que atravessamos?
Na IKEA acreditamos que a regra dos 3 R’s - “Reduzir, Reutilizar e Reciclar” - pode fazer uma enorme diferença na gestão de orçamentos das famílias portuguesas. Ao reduzirmos a quantidade de materiais utilizada no fabrico de artigos, ao reutilizarmos e/ou reciclarmos os produtos que compramos para as nossas casas, estamos a prolongar o ciclo de vida útil dos produtos.

Na actual conjuntura, cheia de desafios, tentamos na IKEA estar ainda mais ao lado dos clientes, fornecendo dicas de poupança de água, energia, materiais - o que se concretiza em poupanças na carteira ao final do mês – e dando uma segunda ou até terceira oportunidade aos bens lá de casa, como o que será feito neste Bazar.

Também a pensar nas famílias portuguesas, a empresa acabou de lançar as “Dicas de Poupança IKEA”, que promovem hábitos mais sustentáveis na vida em casa. Com que critérios foi pensado este conjunto de ferramentas para apoiar os clientes a poupar?
As “Dicas de Poupança IKEA” são uma das várias ferramentas desenvolvidas pela IKEA com o objectivo de ajudar os clientes a poupar em casa, através de pequenas mudanças nos seus hábitos diários. Água, energia, materiais - todos estes recursos podem ser utilizadas de uma forma sustentável, com o objectivo de criar poupanças ao final do mês.

Assim, desenvolvemos um conjunto de soluções fáceis, criativas e acessíveis, que fazem toda a diferença no dia-a-dia, em todas as divisões da casa. Os folhetos ‘Dicas de Poupança IKEA’ estão disponíveis desde o dia 20 de Março, nas três lojas IKEA – Alfragide, Loures e Matosinhos - para que os portugueses possam economizar recursos em casa e viver de forma cada vez mais sustentável.

Sabemos, por exemplo, que a cozinha é o local da casa de maior consumo energético, e portanto vale a pena mostrar os pequenos gestos sustentáveis que podemos ter nesta divisão. Também criámos, em paralelo com estas dicas, um microsite dedicado à forma de trabalhar a sustentabilidade na IKEA, com todas as ideias e progressos que têm vindo a ser alcançados ao longo do tempo.

No âmbito da política de RS da IKEA Portugal, que exemplos de projectos concretos destaca  e de que modo beneficiaram estes as comunidades envolventes?
Na IKEA trabalhamos a sustentabilidade em quatro grandes áreas, como referi, incluindo a da responsabilidade social. No âmbito desta, lançámos em Portugal o Fundo IKEA Colabora, que consiste num donativo de cinquenta mil Euros atribuído pela IKEA a uma entidade sem fins lucrativos que queira desenvolver um projecto que incida sobre a saúde, educação, situação económica de risco ou exclusão de crianças em Portugal.

A ACAPO foi a contemplada da primeira edição deste Fundo e viu, desta forma, ser inaugurado o Centro de Actividades da Vida Diária, que alberga o projecto “Crescer Sentindo” e que permite às pessoas com cegueira e deficiência visual a oportunidade de treinar as múltiplas actividades do quotidiano, de forma a maximizar a sua autonomia nas rotinas que fazem parte do seu dia-a-dia. Também o Hospital Dona Estefânia tem visto serem remodelados espaços cruciais nas suas instalações, que contribuem para o bem-estar e felicidade das crianças, pais e funcionários que todos os dias aí se encontram. Na IKEA acreditamos que muitos pequenos passos conduzem sempre a grandes resultados.

Bazar IKEA “recicla” orçamentos familiares
© IKEA
A iniciativa Bazar IKEA, este ano na segunda edição, promove no dia 24 de Março a venda de artigos em 2ª mão junto dos membros IKEA FAMILY nas três lojas da IKEA Portugal - Alfragide, Loures e Matosinhos - através do convite feito a mais de 540 mil membros IKEA FAMILY. Móveis, objectos de decoração, artesanato, vestuário, livros e brinquedos usados podem ser vendidos no espaço criado para a iniciativa.

A sustentabilidade está na génese desta acção, cuja segunda edição surge na sequência de um pedido de uma comunidade formada para o efeito, de forma espontânea, no Facebook, ao qual a IKEA aderiu.

E para que todos os produtos tenham um longo ciclo de vida útil, os artigos que não forem vendidos poderão ser doados à associação de solidariedade social ENTRAJUDA, que estará presente nas lojas de Loures e Matosinhos, e à associação Aldeias SOS, presente na loja de Alfragide.

VER© 2012 - Todos os direitos reservados. Publicado em 22 de Março de 2012
Partilhar


Comentários



Envie o seu comentário
Nome (*)
E-mail (*)
Cidade/ Localidade
Comentário (*)
O Portal VER reserva-se o direito de publicar ou não os comentários recebidos seleccionando-os segundo os seus critérios de importância e coerência. Comentários considerados como ofensivos serão imediatamente retirados do website.

Partilha Ver
PARTILHAR
 
 
Newsletter
Clipping
Receba os artigos, entrevistas e opiniões semanalmente publicados no portal VER
Email:
Parceiros VER
Parceiros VER
Parceiros VER
Questionário VER
Questionário VER

Concorda com um Código de Ética para os economistas?

   Sim 
   Não 
   NS/NR 
Ver Resultados


Mapa do Site
O registo e o uso deste portal implicam a aceitação dos Termos de Utilização do Portal VER (revistos em Novembro de 2007), bem como a sua Política de Privacidade. Portal VER © 2010.
Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo deste site não pode ser replicado, copiado, distribuído ou transmitido sem autorização escrita prévia.
Todos os conteúdos relativos aos parceiros deste site são da inteira responsabilidade dos mesmos.
Os artigos de opinião publicados no Portal são da inteira responsabilidade dos seus autores.