HOME >  
 
Romper barreiras
O Negócio da Inovação Social

“Tal como a indústria da aviação teve de romper a barreira do som nos anos 1940 e inícios da década de 50, também as nossas economias terão romper a Barreira da Sustentabilidade”. A afirmação é de John Elkington, o homem que cunhou o conceito da Triple Bottom Line e um dos mais reputados especialistas mundiais em desenvolvimento sustentável que, em conjunto com Amanda Feldman, assina o artigo de opinião abaixo. De leitura obrigatória.
POR John Elkington & Amanda Feldman*

.
.
  *John Elkington é fundador e presidente da Volans, considerado um autoridade mundial em responsabilidade corporativa e desenvolvimento sustentável.
.

 

Nos primórdios da Revolução da Sustentabilidade, os negócios ficaram sob ataque – e apostaram numa atitude defensiva. Desde o início dos anos 1990, assistimos à adopção de novas práticas, por parte de empresas líderes, que incluíam a avaliação dos seus ciclos, relatórios de sustentabilidade e da triple bottom line [people, planet, profit – conceito cunhado por John Elkington, que co-assina esta opinião].

As actividades eram ainda, na altura, significativamente reactivas e impulsionadas por factores externos. Pelo contrário, nos últimos anos temos vindo a assistir a um número crescente de empresas que começam realmente a integrar a sustentabilidade nas suas estratégias de longo prazo, bem como nos seus modelos de negócio.

Assim, os negócios sociais emergiram como resultado de duas tendências interligadas: a primeira, na qual as empresas ditas “normais” optaram por substituir a simples obrigação e reporting por uma verdadeira inovação e, a segunda, em que as organizações sociais e da sociedade civil começaram a considerar como haveriam de adoptar e adaptar a perspicácia das empresas e os respectivos modelos de receitas para maximizar o seu impacto.

Esta convergência marca uma compreensão mútua crescente, tanto na sociedade civil como nos sectores público e privado, de que os desafios que enfrentamos não podem ser abordados isoladamente. As fronteiras existentes entre estes sectores tornaram-se crescentemente esbatidas, à medida que ondas sucessivas de pressões sociais se abateram sobre eles, estimulando a evolução das soluções de negócios. Mas mesmo as melhores intenções parecem incapazes de nos fazer mover de uma trajetória de “esgotamento”, com o mundo a lutar para controlar questões como o colapso das pescas oceânicas, a perda de espécies ou as alterações climáticas.

E como responder a esta realidade? Uma resposta urgente é a necessidade de termos tradutores eficazes e confiáveis – mentes inter-geracionais que tenham trabalhado transversalmente em vários sectores e que possam identificar a missão, o propósito e os mecanismos necessários para fazer negócios mediante formas mais sustentáveis.

.
.
Amanda Feldman é consultora para área de serviços a clientes na Volans.  

 

.

Na Volans, sentimo-nos parte de uma ampla mudança. O nosso objetivo é fazer a ponte entre debates, setores, culturas e gerações. Ajudamos os outros a ligar os pontos, acreditando que, com estas descobertas, poderemos fazer toda a diferença na progressão das questões sociais e ambientais.

Mapeámos algumas das grandes tendências que estão a modelar atualmente as nossas economias e sociedades, como se pode ver no nosso relatório intitulado “The Phoenix Economy” (2009). Muito do nosso trabalho envolve o relacionamento entre os executivos de topo que possuam um elevado “Quociente Futuro” (2011) - ávidos para se moverem da Responsabilidade Social Corporativa tradicional para uma verdadeira inovação social – e os empreendedores sociais, os visionários que vislumbram uma melhor forma para dar início e gerir negócios de acordo com os complexos desafios que enfrentamos.

Ambos os conjuntos de actores são pessoas ligadas aos negócios, ambos partilham um pensamento social e ambos tentam lutar para equilibrar as suas visões sociais e ambientais com a realidade financeira das empresas que gerem. E, ao longo deste processo, todos estão a desenvolver os resultados do amanhã.

E é extraordinário o quanto conseguem fazer e aprender uns com os outros. Levamos directamente executivos globais a empresas sociais através de “viagens de aprendizagem” globais, para que compreendam os motivos e os desafios subjacentes a estes modelos emergentes. E desenvolvemos igualmente programas de envolvimento para colaboradores que fazem corresponder indivíduos talentosos integrados em empresas tradicionais com empreendedores sociais, para perceberem e co-desenvolverem os seus modelos inovadores. 

Ansiosos por evitar o cenário de “esgotamento” – e determinados a irmos mais além do cenário “mudar-como-habitualmente” – estamo-nos a concentrar em formas colaborativas que nos conduzam a resultados de ruptura e de consequente conquista. Este será igualmente o assunto do relatório “The Zeronauts: Breaking the Sustainability Barrier”, a ser publicado em Maio de 2012. Tal como a indústria da aviação teve de romper a barreira do som nos anos 1940 e inícios da década de 50, também as nossas economias terão romper a Barreira da Sustentabilidade.

VER© 2012 - Todos os direitos reservados. Publicado em 15 de Março de 2012
Partilhar


Comentários



Envie o seu comentário
Nome (*)
E-mail (*)
Cidade/ Localidade
Comentário (*)
O Portal VER reserva-se o direito de publicar ou não os comentários recebidos seleccionando-os segundo os seus critérios de importância e coerência. Comentários considerados como ofensivos serão imediatamente retirados do website.

Partilha Ver
PARTILHAR
 
 
Artigos da NewsLetter
Artigos da Newsletter
Newsletter
Clipping
Receba os artigos, entrevistas e opiniões semanalmente publicados no portal VER
Email:
Parceiros VER
Parceiros VER
Parceiros VER
Questionário VER
Questionário VER

Concorda com um Código de Ética para os economistas?

   Sim 
   Não 
   NS/NR 
Ver Resultados


Mapa do Site
O registo e o uso deste portal implicam a aceitação dos Termos de Utilização do Portal VER (revistos em Novembro de 2007), bem como a sua Política de Privacidade. Portal VER © 2010.
Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo deste site não pode ser replicado, copiado, distribuído ou transmitido sem autorização escrita prévia.
Todos os conteúdos relativos aos parceiros deste site são da inteira responsabilidade dos mesmos.
Os artigos de opinião publicados no Portal são da inteira responsabilidade dos seus autores.